quarta-feira, 29 de junho de 2011

Meu nenê chora tanto, será fome?

Percebo muitas mães enlouquecidas nos primeiros 3 meses de vida de seu rebento, olheiras enormes e cansada de ouvir choros e não entender o que seu filho precisa. Será cólica? Será fome?
A musicista australiana Priscilla Dustan decifrou o choro de seu bebê em 5 tipos básicos e agora, auxilia as mães a decifrarem os choros de seus bebês também!

Dá uma olhada!

Choro nº1: Neh = “tenho fome”
Ouça com atenção o choro, quando parecer um “Neh” significa fome. O som é baseado no reflexo da sucção, ou seja, para querer comer, o bebê faz um som baseado no movimento da alimentação, combinado com o choro. Hora da amamentação ou do leitinho do bebê! É um bom auxilio para barrar os conselhos dos "palpitadores" (que dizem: esse menino tá magro, ele tem fome!), e evitar dar de comer ao bebê a qualquer momento - quem sabe, previnindo lá na frente, na vida adulta, aquela sensação que a dor ou desconforto (que pode ser emocional) será melhorado atravéz do consumo de comida. Quantas pessoas você não conhece que come por estar ansiosa?

Os outros choros dos bebês podem ser visualizados neste vídeo muito bacana, produzido pela GNT no programa Mãe e Cia  com a ajuda da especialista em linguagem do bebê Rafaela Rosa , os sons dos choros ficam claros, é muito legal!




Espero que gostem!
Beijos sem choro!

terça-feira, 28 de junho de 2011

Quero voltar a amamentar - relactação

Olá queridos!

Eu estava folheando uma revista de celebridades, quando parei em uma matéria que a celebridade em questão, com sua filhinha de 3 meses tomando mamadeira. Ela dizia "tentei de tudo, mas não consegui continuar a amamentar". Eu digo, aqui pra vocês: tentou mesmo?
Existe uma técnica que ultimamente é  pouco utilizada no Brasil, mesmo com índices de desmame precoce tão altos. Imagino que, quando uma mãe para a amamentação, geralmente ela não tem um grande desejo de voltar (salvo poucas excessões) e por isso, a técnica não é difundida.

Vou explicar melhor. Veja este exemplo: Você tem um bebê de 3 meses, e ele chora bastante. Sua vizinha diz que é fome, e isso colocou a dúvida na sua mente. Quando ele vai mamar no seu seio, ele fica irritado, solta, chora mais. Aí você dá a mamadeira. Quando mais o bebê toma mamadeira, menos ele quer o peito (mamar na mamadeira é muito mais fácil que no peito, pois movimento menos músculos faciais). Quanto menos o bebê mama no seio, menos leite é produzido. Aí a mãe desiste de amamentar.

Aí que pode entrar a relactação. A relactação estimula a produção de leite, aumentando sua quantidade, facilitando a amamentação. Por que, sem sucção, não há remédio que aumente o leite. É necessária paciência e tranquilidade para tal procedimento ser eficaz.
Como funciona?

Você vai precisar de:
  • Um Relactador

Ou a montagem do seu prórpio:

  • Um catéter (sonda nº 4)
  • Seringa ou recipiente para colocar o leite
Monte conforme a imagem, com uma ponta do catéter bem próxima ao bico do seio, presa por fita crepe, e a outra ponta no recepiente que pode conter leite materno ou leite de fórmula indicado por seu pediatra ou nutricionista.
A sucção do bebê vai estimular a produção do leite ao mesmo tempo que o alimenta. E ele volta a se acostumar com o seio. Muito importante: o processo para ter sucesso, tem que ser isento de mamadeiras, então, se decidiu fazer a relactação, não dê mamadeiras ao seu bebê. No começo ele vai estranhar, chorar um pouco, mas logo se acostuma. Você, percebendo que está fazendo o melhor para seu filho, passa a ficar mais tranquila, facilitando a produção do leite! 
Quer tentar? Peça ajuda a um profissional, como o enfermeiro obstetra ou a nutricionista. Já fez? Conte sua história aqui pra gente!
Grandes beijos!

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Frutas - como fazer seu filho comer!

Boa tarde !

Todo mundo sabe que as frutas são alimentos essenciais na alimentação de qualquer pessoa. Ricas em vitaminas, minerais, água, fibra, elas são os alimentos de sabor geralmente doce que nos trazem saudabilidade, proteção as doenças, previnem a obesidade infantil e garantem um bom desenvolvimento global do seu filhinho.

Infelizmente, com todas estas informações, o consumo do brasileiro de frutas é muuuuuito baixo. Comemos, em média, 1/2 fruta ao dia. E muitas crianças, quando chegam aos 2 ou 3 anos, quando seu apetite naturalmente diminui, diminuem sua frequência de consumo, comendo as vezes 1 fruta por semana! É muito, muito pouco.

Nosso pequenos deveriam consumir de 3 a 5 porções de frutas por dia, dependendo da idade de sua cria.
Mas, se o seu pequeno torce o nariz pras frutas? Ou suas crianças são seletivas e vem com aquela conversa: só gosto de banana e morango.
Precisamos incentivar o consumo. E é claro, primeiramente, o exemplo é o maior incentivador. Papai e mamãe também tem que comer fruta para que o filhinho experimente também.
Para incentivar, a salada de frutas é um clássico. quantas vezes você prepara, ou pede para preparar uma salada de frutas? É fácil, rápido e geralmente, as crianças adoram, principalmente se podem ajudar na confecção da salada, misturando ou ajudando a cortar uma fruta mole com uma faca sem ponta.
E o visual da salada de frutas é muito importante!

Pode incrementar com granola, iogurte, farinha de linhaça (a dourada tem uma cor linda, você pode dizer que é ouro em pó!...).

Ou pode fazer cozida, com uma calda feita com canela, pouco açucar:


Frutinha assada no inverno

E a última dica, a mais especial. Você já ouviu falar que o ótimo é inimigo do bom? Pois é. Eu penso assim. Vamos imaginar uma criança lindíssima, que não gosta de frutas. Todos os dias, de sobremesa, come um docinho, um chocolatinho. E sente falta deste sabor depois da comida salgada. Vamos fazer a transição.
Como? Derreta um pedaço pequeno deste chocolate. Pique a fruta e faça um mini fondue pro seu pequeno! Coloque o chocolate só na ponta da fruta, como na imagem.
Diminuímos a quantidade de doce e aumentamos a quantidade de frutas.
E leite condensado, pode? Para fazer a transição, pode também. Cuidado com a quantidade! Uma colher de sopa (rasa) para uma xícara de frutas picadas é uma quantidade boa.
Mas nada como a frutinha in natura!
E aí, qual será a fruta do cardápio de hoje dos seus pequenos?
Beijos com sabor de fruta!










terça-feira, 14 de junho de 2011

Minha história

Bom dia pessoal!

Temos uma nova página que conta minha história pessoal com a nutrição e amamentação da minha filhinha! Vão lá conhecer a Bia!

Também fiz um post especial sobre amamentação no blog da querida Line Sena, do Mamãe Moderna. sabe quantas calorias você perde por dia ao amamentar? Dá uma olhada no:http://mamae-moderna.blogspot.com/2011/06/oba-hoje-temos-visita-karine-que-e.html

Espero que gostem!
Beijos!

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Refeições em família

Olá queridos!

O mundo atribulado em que vivemos, os compromissos, tanto dos pais, como das crianças, acabam tomando nosso tempo. Um corre pra cá, outro corre pra lá, eu almoço às 14:00, mas a empregada dá comida às crianças ao meio dia, se não, não dá tempo de chegar a aula de inglês.
Conhece esse quadro? Pois é, essa é a realidade de muitas famílias. As crianças ultimamente comem aonde querem e quando querem. Há pouco tempo atrás, vi um programa super legal na TV que falava da rotina de duas crianças, uma, em que a mãe trabalhava em tempo integral, e outra, que a mãe abidicou de trabalhar para poder ser mãe em tempo integral. E estranhei, ao ver o horário da refeição da filha que tinha a mãe presente todo o tempo. A mãe levou o prato de comida até o quarto da filha, que almoçou sozinha, sentada na cama, em frente a TV.

Não estou aqui para julgar ninguém, mas quero informar. Vi, no último Congresso Paulista de Nutrição, menção a estudos que indicam que, a criança que realiza 4 refeições em família por semana, tem menores índices de consumo de droga na adolescência, obesidade, problemas de comportamento (agressividade, por exemplo) e depressão. Não é incrível este dado? Parece mágico, jantamos com nossos filhos quatro vezes por semana, e eles ficam protegidos dos nossos maiores medos como mães e pais. Ou então tomamos café  duas vezes por semana, almoçamos uma e jantamos uma. Enfim, fazemos estas quatro refeições como melhor nos couber. Este número, pessoal, até que é fácil de alcançar!

A refeição tem que ser feita na mesa e sem TV em frente a mesa.
E tem outra coisa, tem que desligar a TV que estiver por perto, não basta não olhar pra ela. A tv ligada em algum ambiente próximo a refeição prende a atenção em outra coisa que não é a família.
Quando a criança (de qualquer idade) come em frente a TV, ela perde a sensibilidade em relação a saciedade, o quanto já está bom de comer, qual o momento de parar. Será que você, ou seu pequeno, ao comer algo em frente a TV, não se surpreenderam observando que o alimento havia acabado do pote e vocês nem perceberam?
Outra coisa: hora de refeição não é hora de brigar. Não é hora de cobrar nota, nem de castigo, nem de forçar a comer.
Pra finalizar, coloco este vídeo super especial que fala um pouco do que discutimos aqui. Vale muito a pena conferir!


Qual idade da criança já iniciamos o processo alimentação em família? Com 1 aninho, o bebê pode comer no mesmo horário que os pais - claro que exige malabarismos do tipo, todo mundo senta com o prato, a mãe vai comendo enquanto serve o pequenino, e quando o pai terminar o jantar, troca de lugar com a mãe e vice-versa. O que vale é esse momento em família, só de vocês!

Beijos com carinho de família!

terça-feira, 7 de junho de 2011

Meu filho não come! Parte 2 - pré-escolares.

Bom dia pessoal!!!!

Hoje volto naquele assunto que tira o sono de muitas mamães...as crianças que não comem.
Agora estamos falando daquelas crianças maiorzinhas, que correm enquanto a mamãe corre atrás com o prato de comida e a colher na mão, ou é aquele drama sentado na mesa, a criança não quer, não abre a boca, cospe ou "finge" uma náusea.
E todo dia é a mesma coisa! Um momento de estress em família.

Pra iniciarmos essa conversa, gostaria que a mãe avaliasse sua prórpia ansiedade. Criança magra não é criança desnutrida ou anêmica (só quem pode afirmar isso é o pediatra ou o nutricionista). Aquele bebê fofo, que raspava o prato e comia tudo que você dava, foi substituido por uma criança que naturalmente, tem menor apetite. A partir de 2 anos acontece uma redução natural no apetite do pequeno. E algumas mamães sempre querem que eles raspem o prato, em todas as refeições.

Vamos as dicas:

Horários das refeições: crianças se sentem seguras e gostam de rotina, e por isso, é tão importante mantermos uma rotina também na alimentação do seu filhinho. Claro que existirão dias especiais, festas, comemorações ou viagens que vão "atrapalhar" a rotina, mas estes dias tem que ser a excessão, e não a regra.

Delimite horários para a alimentação do seu pequeno. Cinco a seis refeições diárias são ideais. Café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e lanchinho antes de dormir. Você adequa de acordo com a realidade da sua família.
Determinados os horários, não dê nada de comer a ele nos intervalos. Nem suco, nem 1 balinha, nem um pedaço de fruta, nada! Apenas água. Qualquer coisa fora do horário é belisco, e belisco atrapalha o apetite.
Há, mas pra você nutri, é fácil falar, meu filho vai lá e pega as coisas no armário. Bom, tenho que comentar que quem manda, é a mamãe e o papai. Não deixe alimentos à vista ou ao alcance de seus filhos.
Até aí tudo bem. Você escolheu os horários, está seguindo, e na hora do almoço, ele não quer comer, não tem jeito.
O que eu faço? Forço? Faço chantagem? Ofereço leitinho no lugar?
A resposta é: não faça nada! Nada de demostrações de preocupação, brigas, ou ofertar outro alimento. Simplesmente ele não vai comer em uma refeição, não vai comer nada mesmo. FIQUE TRANQUILA(O)!
Seu príncipe ou sua princesa não vão ficar doentes, ou morrer de fome por "pular" essa refeição. Mas na próxima refeição, vai estar com fome. Se não estiver, explique que ele só comerá na próxima refeição. Respire fundo e espere mais uma vez até a próxima refeição. Continue tranquila(o). Quando ele estiver com fome, comerá. Com o tempo, e eu digo que o tempo dura até aproximadamente 3 dias, você educará o apetite do seu filhinho.

Em relação ao "forçar", como comentei, não é recomendado. isso só vai trazer um sentimento ruim relacionado aquela comida, e criança é esperta demais. Sempre quer mais atenção. E se, não comer é uma forma de chamar sua atenção, é o que ele vai fazer, se você der muita importancia ao episódio. Se deixar um pouco no prato, respeite o apetite do pequeno.

Participar da elaboração da refeição: Chame seu filho para auxiliar na escolha dos ingredientes, no preparo da comida, ou da montagem do prato. As crianças costumam se interessar pelo que preparam.

Beleza no prato: Muita comida no prato pode deixar seu filho com ansiedade, com a sensação que não vai dar conta. Monte a refeição em um prato grande, com menos comida, bem bonito e bem colorido, forme desenhos, carinhas, sorrisos e varie bastante o cardápio, servindo o mesmo alimento de diversas formas (Ex: beterraba: cozida, crua, ralada, quadradinhos). Também analise se a comida está quente demais, ou fria demais.

Olha que delícia de palhacinho! Escondidinho, que pode ser feito com purê de batata ou mandioca e recheio de frango, carne ou atum desfiado. Sorrisinho e nariz de tomate, olhos de ervilha, cabelo de cenoura e gravatinha de brócolis

Esse é criatividade total! Arroz branco, ovo cozido, alface, cenoura, ervilha, picles, palmito, tomate, alface...uma refeição completa em forma de coelhinho! Quem resiste?

Simples e fácil de fazer! Macarrão, cozinha rápido. Brócolis e couve-flor, pode usar as versões congeladas.O hambúrguer pode ser feito com antecedência (carne moída, ovo para dar liga e temperos) e congelado, assado ou grelhado na hora, e um pedaço de cenoura para enfeitar a casinha! Rápido e eficiente!

Última dica do dia: cuidado com barulhos, tv ligada, brincadeiras na hora de comer. Hora de comer é hora de comer, e tem que ser respeitada!

De presente pra vocês eu coloco este vídeo de um desenho muito bonitinho e divertido, que mostra o Charlie incentivando sua irmãzinha Lola a comer, usando a criatividade! Assita junto com seu filhinho, que ele vai gostar!

Bon appetit!!!!!!