quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Lista de Bancos de leite que retiram doação !

Bom dia pessoal!


Alô alô quem amamenta e pensa em doar o seu precioso leite para auxiliar as outras crianças! Se você treinar tirar o leite para doar vai ser mole tirar o leite para o filha quando tiver que voltar a trabalhar!
 
E para auxiliar quem quiser se propor a ajudar a salvar vidas com o precioso leite, segue aqui a lista de bancos de leite que retiram doações em São Paulo. Essa lista é de um folder que peguei lá no primeiro hospital da lista, do Leonor Mendes de Barros, que foi aonde comecei a carreira e aprendi muito sobre amamentação.
 
 
Divulguem, divulguem, divulguem! Sua ação pode fazer a diferença na vida de uma mãe e uma criança.
Beijos e ótima quarta-feira

 

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Desconfia de alergia ao leite de vaca?

Olá pessoal!
Estou imersa em muitos trabalhos, muitos estudos, pouco tempo. Tudo pra entender um pouquinho mais desse mundo enorme, lindo e louco da alimentação infantil.
Entre os últimos dias, participei de um Simpósio Internacional de Alergia Alimentar, muito bom, com muita palestra legal, com muita gente competente.
No meio das palestras, uma determina situação foi se repetindo no discorrer dos palestrantes. Uma mesma situação que me doía ao ler. A demora do diagnóstico da alergia alimentar.
A mãe e os familiares ficam 5 meses, 7 meses, 1 ano, 2 anos pra descobrir. Isso é desgastante, sofrido e até irritante pras mães. Quantas não vão e voltam de vários profissionais? Muitas! Várias vezes sem indicações ou respostas....


Será que é esse leite que atrapalha meu sossego?
Pensando em tudo isso, resolvi, tentar organizar algumas coisas. Tentar colocar em uma linha o que devemos fazer para que vocês, pais empoderados, consigam ter um norte. Por que, vamos combinar... só vocês sabem o que se passa!
Seu filho apresenta um desses sintomas, ou vários deles:
choro incessante, cólica, refluxo, diarréia, irritabilidade, vômitos, sono agitado, dificuldade em mamadas, insuficiente ganho de peso, sangue nas fezes, angiodema, manchas pelo corpo, eczema, dermatite atópica, chiado, prisão de ventre, disfagia, tosse, congestão, gases, colite, repetidas histórias de infecção de ouvido...
Vá ao pediatra. Converse com ele e tire suas dúvidas. Mas converse muito mesmo. Desconfiou de alergia ao leite de vaca? Possivelmente,ele vai te encaminhar...
(o pediatra também pode acompanhar, não precisa encaminharr, se ele entender de alergia)
Tem sintomas gastrointestinais (ligados aos trato digestivo)? Exemplo - sangue nas fezes?
Procure um gastropediatra.
Atenção. Aqui, fazer exame de rast, imunocap, Ige, pode não dar nenhum diagnóstico. Provavelmente vai dar negativo, e isso não significa que o seu filho realmente não ter alergia.
Aqui você também pode fazer exames de sangue oculto nas fezes e pode dar positivo, ou negativo.
Tem sintomas de pele, como dermatite atópica?
Vá a um pediatra alergista.
Atenção, aqui você pode fazer os mesmos exames, mais o prick test e pode dar positivo, ou não.
Os profissionais precisam fazer várias questões sobre sintomas, duração, quanto de alimento teve contato e se a criança tem sintoma logo após consumir o leite ou não.
E se os exames podem dar falso negativo, o que fazer?
O jeito pra você ter certeza (chamamos de padrão ouro no diagnóstico de alergia alimentar) é o teste de provocação oral. O teste é o seguinte: tirar ABSOLUTAMENTE TUDO de leite da mãe, quando amamenta, e da criança, se é amamentada ou não. Pra fazer um teste bem feito, pra não ter dúvidas, não pode furar a dieta. Lembre-se, é o teste diagnóstico.
Se a mãe amamenta, vai tirar leite e traços de leite de sua dieta. Tirar cremes corporais e sabonetes com leite também é importante - lembre-se os bebês "lambem" as suas mães. Se a criança come, nada de leite ou traços de leite pra criança. Nessa hora, precisa sim, trocar mamadeira, esponja, panela que já tenha contato com o leite. Isso favorece o diagnóstico.
Se a mãe não amamenta, precisa introduzir uma fórmula extensamente hidrolisada, ou uma fórmula de aminoácidos (o famoso Neocate). E tomar os mesmos cuidados citados acima com a criança
É aí que eu entro, a nutricionista.... pra indicar essa alimentação, alimentos sem leite, uma possível suplementação, pra tirar dúvidas. A ESPGAN recomenda que um nutricionista esteja envolvido nesse tramite. Procure um nutricionista que trabalhe com alergia alimentar e crianças...
Aí, depois de 6 a 8 semanas - geralmente é o profissional de saúde que decide- tem que provocar. Como? Reintroduzindo o alimento na vida da criança. Se ele estava bem, e com a reintrodução, ele piora, é alérgico. Se não fez diferença, não é alérgico.
As vezes a criança fica tão bem que essa parte é "pulada". Apesar das recomendações, depende, de criança para criança, de profissional para profissional.
Simples assim?
Simples nada, é bem complexo fazer tudo isso. Mas é necessário. Não dá pra falar.. " eu acho que ele tem..." Tem que saber. E pra saber, tem que fazer teste de provocação. E tem que reintroduzir. Se não for assim, vai ter criança com alergia sem fazer restrição e vai ter criança sem alergia com um monte de restrição.
Confirmou diagnóstico, espere estabilizar, e veja, junto com o profissional da saúde, se seu filho é o tipo que reage ou não a traços. Proibir traços de leite nessa fase, é pessoal. Tem criança que reage, e criança que não reage. O seu filho é único, uma indicação única será feita pra ele.
Tem criança que reage só ao passar no mercado na parte de laticínios, tem criança que come algum alimento com traços, e fica bem.
Os últimos consensos e documentos sobre alergia confirmam: pode fazer diferença sim, a quantidade de alérgeno, dependendo da criança.
O foco será, mas pra frente, introduzir esse alimento na vida da criança. Até lá, tem alguns passos importantes. Mas por enquanto, acho que esse guia pode te ajudar.
Quero agradecer pessoalmente um pessoa muito querida, muito querida, mãe de uma criança alérgica, e me deu uns toques importantes pra esse texto. O nome dela é Cecília Cury. Pessoal interessado em alergia, gravem esse nome. Ela ainda vai fazer barulho!
Também indico a querida nutricionista Alice Bastos, nutricionista que veio de Fortaleza fazer uma consultoria comigo, para atender ainda melhor seus pacientes. Se é de Fortaleza, é essa a nutricionista que você deve procurar!

P.S - alergia ao leite de vaca NÃO é intolerância à lactose. Pra saber mais, leia esse texto que colaborei sobre problemas com o leite.

E aqui, vou indicar mais um texto, que também escrevi no Minha mãe que Disse. É sobre os alérgicos, e o que na verdade, eles nos ensinam...
Um grande abraço, e vamos juntos na luta à favor das crianças alérgicas!