terça-feira, 27 de setembro de 2011

Iogurte na alimentação das crianças

Bom dia pessoal!

Vou seguir uma indicação de uma leitora querida, Alethéia, e escrever sobre iogurte na alimentação das nossas crianças.

Eu sou superfã deste alimento! Rico em Cálcio (sempre estimulo consumo de alimentos ricos  neste micronutriente pois nossa população está bem carente....), tem a lactose (açúcar do leite) fermentada e por isso é de fácil digestão, rico em probióticos, as tais bactérias benéficas que equilibram nossa flora intestinal, fortalece o sistema imunológico e facilita o trânsito intestinal, entre outros benefícios. 
O iogurte pode ser incluido na alimentação do bebê após o início da alimentação complementar, isso é, com 6 a 7 meses aproximadamente. Com algumas ressalvas e detalhes.

Detalhe número 1: O iogurte para dar para o bebê, necessariamente tem que ser natural e sem açúcar. Os petit suisses vendidos no mercados contém corantes, aromatizantes e conservantes, substâncias estranhas ao nosso organismo (nós nutricionistas chamamos estas substâncias de xenobióticos). O intestino do bebê é imaturo para receber estas substâncias. Podem causar dores abdominais, uma alteração na microbiota intestinal e futuros (e inúmeros) problemas de saúde.


Detalhe número 2: Iogurte não pode ser servido como sobremesa do almoço, nem do jantar. Vamos à explicação: o almoço e o jantar do seu filhinho precisam ser ricos em Ferro. O iogurte é rico em Cálcio. Cálcio e Ferro são absorvidos pelo nosso organismo pelo mesmo sítio de absorção, ou seja, pela mesma "porta de entrada". Eles competem para serem absorvidos, dependendo da proporção destes micronutrientes. E precisamos que eles sejam mais absorvidos possível, sem competições para atrapalhar sua biodisponibilidade (sua capacidade do organismo absorver o micronutriente). Portanto, o ideal é uma refeição ser rica em Ferro, e a outra, rica em Cálcio.
Deficiência em ferro é uma das causas de anemia, doença muito comum entre nossos pimpolhos.
Ex: Café da manhã, rico em Cálcio, Almoço, rico em ferro, lanche da tarde, rico em Cálcio, jantar, rico em Ferro, ceia, rica em Cálcio.

Agora, como podemos incluir o iogurte na alimentação do bebê? Sugiro no lanche da tarde, adicionado a alguma papa de fruta. Fica uma delícia! Para os maiores de um ano, pode ser iogurte de beber em um copinho específico, ou iogurte com cereal, ou mesmo o iogurte com alguma fruta picada - manga combina muito bem! Ou em uma deliciosa salada de frutas! Ou congele o iogurte e faça um delicioso sorvetinho.
Caso for introduzir o iogurte "não natural", faça depois da criança completar um ano.

E para complementar nosso post, vou atender aos pedidos de uma outra querida leitora, a Raíssa, e vou descrever aqui para vocês uma receita que vai iogurte e aveia (toda receita que vocês utilizarem farinha de trigo, troquem por metade de farinha de aveia, adiciona fibras e vitaminas na receita e fica uma delícia)

Bolo de iogurte com aveia

1 copo de iogurte natural desnatado
1/2 copo de açúcar light
1/2 copo de óleo (girassol)
1 copo de farinha de trigo
1 copo de aveia em flocos finos ou farinha de aveia
4 ovos
1 colher (sopa) de fermento em pó

 Bate tudo no liquidificador, menos o fermento. Tire do liquidificador, acrescente o fermento e mexa à mão. Coloque em uma forma com o furo no meio e leve ao forno pré-aquecido a 200ºC. Fica pronto em cerca de 40 minutos.
Dica para variar: no fundo da forma, coloque bananas maduras cortadas em rodelas com um pouco de canela, cubra com a massa. Virou um delicioso bolo de banana!

Beijos nutritivos e bom apetite!







sábado, 3 de setembro de 2011

O que tem para o jantar? E um pouco sobre Neofobia.

Olá queridos!!!

Hoje resolvi partilhar um pouco da minha vida pessoal! Vou dividir o jantar da minha família com vocês!!!
Cheguei em casa após um dia atribulado, e precisava fazer o jantar para família. Tinha mais ou menos 30 a 40 minutos disponíveis. Olha o cardápio que resolvi fazer de última hora:

  • Filé de frango com requeijão
  • Brócolis ao alho
  • Arroz integral

Como fazer?
Estou usando uma marca de arroz integral facílima de preparar, Camil. Coloquei 3 xícaras de chá de água pra ferver. Enquanto fervia, fui tomar uma rápida chuveirada. Saí do chuveiro, coloquei 1 xícara de arroz cru na água fervendo. Coloquei também um pouquinho de alho pré processado e um pouco de sal. Tampei a panela e abaixei o fogo.

Me troquei. Voltei a cozinha. Agora o truque do brócolis rápido e saboroso. Peguei um maço de brócolis ninja, cortei os floretes (não muito pequenos, para utilizar o máximo do caule), lavei e coloquei em um saco plástico culinário (um saco plástico comum). Reforço que coloquei-os molhados. Fechei o saquinho, furei o saco com o garfo, e coloquei no microondas por 4 a 5 min (o tempo varia de aparelho pra aparelho) - eles ficam cozidos al dente, e verdinhos!!!!

Enquanto isso, temperei os filezinhos de frango com cominho, pimenta do reino, limão e um pouco de sal. Voltei aos brólcolis. Aqueci uma frigideira ante-aderente e coloquei alho pré-picado. Sem óleo. Deu uma douradinha, grudou no fundo da panela, coloquei um pouco de molho de soja (ou molho shoyo, como é mais conhecido), soltou o fundo da panela. Caprichei mais no molho shoyo. Mexi. Coloquei os brócolis pré-cozidos e vou dando uma mexidinha pro alho com o molho envolver os vegetais. Tá pronto.
Concomitante, coloco os filés pra grelhar em uma frigideira de ferro (ganhei de presente de aniversário da minha mãe semana passada), sem óleo. Grelha de um lado, viro, coloco uma porçãozinha de creme de ricota que tinha sobrando na geladeira (com requeijão também fica uma delícia). Está pronto. Pico um pouco de cebolinha em cima, mas não coloco tanto assim no da minha filha (já que ela não é tão fã do tempero, e nesse caso, vou respeitar sua vontade de colocar menos - mas não deixo de colocar). Durante esse tempo, já desliguei o arroz.

Jantar delicioso, saudável e pronto!





Esse é o prato da Bia!

Vamos aos detalhes que vão garantir a aceitação do prato. Perceberam que o prato é colorido e diferenciado? O jogo americano é amarelo, cor que remete ao aumento de apetite - vocês lembram a lanchonete que utiliza essa cor? Atentem também para a quantidade. A porção não é grande, mas é ideal pra idade da minha filha - 11 anos. Se por acaso, ela querer mais, vai pedir. E não vai se assustar com uma quantidade enorme de comida que ela "vai ter que dar conta" senão eu vou brigar. Dessa vez a Bia não me ajudou no preparo, pois ela estava na casa de uma amiga, mas ajudar no preparo é uma das grandes sacadas para a criança aceitar a comida.

Aí você me diz: se meu filho ver o "verde" no prato, não vai comer de jeito nenhum. Vamos lá. Existe um fator ou sintoma, chamado  NEOFOBIA que a maioria das crianças apresentam, especialmente em idade pré-escolar. Neofobia é o medo do alimento novo ou diferente. Esse "sintoma" é inerente ao ser humano, sobrevivemos graças a ele, já que nos primórdios o medo do diferente nos impediu de nos alimentarmos com alimentos venenosos. Esse comportamento é natural e esperado na criança. E se a neofobia é o medo do novo, precisamos trabalhar nossas crianças com o conhecimento do alimento, para que ele deixe de ser novo. Incentivo as mães dos meus pacientes a colocarem o vegetal diariamente no prato dos seus filhos, mesmo que a criança não coma. A familiarização com o alimento vai fazer com que a criança o aceite mais facilmente.

Mais um detalhe do jantar: Perceberam que não tem uma gota de óleo adicionada? Viu como é possível? Tentem fazer em casa e me contem como foi.

Um super beijo no coração!