Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2014

Festa saudável colorida de um ano

Olá pessoal!

Tive o prazer de acompanhar um gatinho desde seus 4 meses de vida. A mãe dele, muito dedicada e amorosa, fez a introdução alimentar de uma forma adequada, tranquila, saudável. E ele cresceu assim, uma criança encantadora e sorridente!
Chegou portanto, o aniversário de um ano. Ela queria uma festa em que seu filho pudesse realmente comemorar. Que ele tivesse livre para provar a grande maioria dos alimentos de sua festinha. Conversamos sobre isso em consultas, e ela foi atrás.
E agora, me deu de presente a possibilidade de divulgar essas fotos, para inspirar outros pais por aí. Sim, é possível, sim, fica lindo, sim, todos adoram festas saudáveis!











Parabéns, pequeno príncipe! Uma vida de saúde, alegrias e muito amor o espera! Um beijo muito especial da sua nutri.

Beijos à todos

Analisando o peso da criança - quando a criança pesa menos do que deveria!

Diariamente recebo questões dos pais com o peso de seus filhotes. Parece estar no topo das nossas preocupações. E não estou falando de quem pesa mais- estou falando de quem, eventualmente, pesa menos.
Minha questão principal é: por que existe uma corrida ao percentil 50 ou score 0, aquela linha verde das nossas curvas de crescimento?
Curva de crescimento? É isso mesmo, é aquele gráfico que as nutricionistas e os pediatras colocam os dados do seu filho, em toda consulta, logo após medir e pesar.
A curva utilizada atualmente é a da Organização Mundial da Saúde, veio de um estudo de 2006, que incluiu crianças brasileiras que mamavam no seio, não conviviam com pessoas fumantes,etc. Pensem em crianças saudáveis mesmo! Crianças do Brasil, especificamente de Pelotas, foram incluídas no estudo. Isso é muito importante, já que precisamos ter referências do nosso país para avaliar crianças brasileiras, certo?
É muito importante saber disso, qual curva estamos usando. Quando me formei, há 10 anos, a…

Bolo de maçã adorado e substituições saudáveis para bolos caseiros

Olá
Tem um bolo que eu sempre faço e é sucesso em casa. Se alguém vem me visitar, adoro fazê-lo. Perfuma a casa, é facílimo de fazer, e é claro, muito gostoso. Fui adaptando receitas por aí até achar o bolo que eu queria - sempre com aquele toque de saudabilidade.
E é desse toque que eu queria falar agora. A troca de ingredientes e adaptação de receitas nos alimentos do nosso hábito é um passo especialmente fácil  na busca de uma alimentação mais saudável. Esse bolo vai ser um exemplo, que pode ser multiplicado para outras receitas.
Vamos começar pela farinha branca: para fazer um bolo integral básico, troca-se a metade da farinha branca pela integral. Legal. Mas eu prefiro mais nutrientes!Trocar metade da farinha branca (ou o total de farinha!) pela farinha de aveia garante fibras como a farinha integral (e diminuí o índice glicêmico da receita), mas garante mais. Garante Zinco. Esse mineral essencial para o crescimento das crianças, essencial para a palatabilidade das crianças (manter …

Carta para a mãe que não amamentou o quanto quis

Eu tenho ideia do que passou. Você tentou, dentro do que lhe foi possível. Puerpério não é fácil, e tenho quase certeza que ninguém te informou sobre aleitamento ainda no parto, quando deveria ser. Aliás, parecia uma coisa simples né? As fotos são de belas mulheres amamentando calidamente seus filhos. Algumas pessoas diziam que era difícil, mas a gente acha que vai dar conta ué!
Só, que, no caminho, acontecem coisas que a gente não pode explicar, ou prever, ou até mesmo, aguentar. Foi um bebê que não ganhou peso, foi um machucado grande, uma internação, uma indicação inadequada de complemento, muitos palpites. Eu sei, a primeira mamadeira foi dada com pesar. Esse não era seu plano.
O tempo passou, e tudo ficou mais claro. Talvez, ao olhar para trás, você consiga enxergar o que poderia ter feito de diferente. Hoje, mais envolvida com a maternagem, sabe que poderia ter achado o apoio certo. Isso, às vezes, ainda te deixa culpada.
O que eu queria escrever é o que já te falaram, mas em relaçã…

A distração que embala a refeição!

Isso é um sintoma/ situação da modernidade. A criança, brinca, pula, estimulada, ativa demais, não consegue parar. Ou o contrário, calma, tranquila, mas não tem o interesse pela comida. Com a ideia que “não importa como ou o quê coma, o importante é que coma”, a TV ou alguma tela entrar em ação para fazer a criança “comer melhor”(?).
Talvez a mãe se lembre de como tudo começou. Talvez, essa situação já esteja tão “entranhada” na rotina, que mal dá pra saber. E o maior problema é escapar da armadilha que fizemos pra nós mesmos.
Mas afinal, qual o problema de comer sentado em frente à TV? Qual o problema de distrair a criança para conseguir mais uma colherada?


A nutrição tem muitas linhas. Quem lê esse blog deve saber disso. Depende de quem você lê, as orientações podem divagar. Mas existe um, um único assunto que todas as linhas da nutrição concordam veemente. Se você gosta da alimentação ayurveda, se na verdade se interessa por medicina chinesa, se gosta é da nutrição funcional, se faz m…

Controle do peso, angústia e a pergunta: ser magro é ser saudável?

Olá pessoal

A nutricionista já foi sinônimo de "profissional que vai fazer você emagrecer". Imagina a cara de algumas pessoas quando digo que acompanho bebês. Alguns comentam: mas novinho assim, precisa?

Precisa! Ensinando a criança a comer bem, com prazer, uma alimentação rica em cores, sabores, menos esse bebê vai precisar fazer controle de peso na vida adulta. Isso é prevenção, é investimento em qualidade de vida.

Mas quando a criança já está acima do peso, orientar uma reeducação alimentar e uma vida ativa passa a ser muito importante. Mas essa simples (ou não tão simples) atitude é difícil, carregada de culpa, de angústias, de mudanças, de culpa.

Uma psicóloga amiga minha um dia leu um texto meu, um texto com o título "Dieta" para criança Gordinha. O foco do texto, como vocês podem ver, é tentar remodelar a ideia de dieta, e contribuir para uma mudança mais assertiva, mais duradoura. Afinal, criança não faz dieta. Esqueçam as dietas! Faz reeducação alimentar, deve…

Panqueca doce estilo "pancake" (receita sem trigo, sem leite)

Olá pessoal

Eu amo batata doce. Assadinha então.. hum... e há uma semana elas estavam lá, olhando pra mim. Mas eu as guardei. Queria testar essa receita há tempos. Coisa boa para variar o café da manhã ou o lanche da tarde, boa pedida nas férias. Boa para controle glicêmico por conta da canela e da batata doce (alô alô grávidas com diabetes gestacional - sem a canela-, crianças que precisam controlar o peso) e ótima para os alérgicos (atenção só a presença do ovo). E além e principalmente, é gostosa pra caramba!

Ingredientes

 2 batatas doces pequenas (ou 1 grande)
 2 ovos caipiras médios
 1/2 banana grande ou 1 pequena
 Pitada de sal, canela, gengibre
Azeite, manteiga ou oleo de coco para cozinhar

Cozinhe a batata doce descascada em água (a receita original é com ela cozida- eu assei e coloquei um pouquinho de água, só um pouco, na massa). Em um processador adicione a batata, ovos e banana (para adocicar).Ou usa um mixer para transformar a batata em um purê e depois misture o resto. Adicione …

O bebê, a mãe e a livre demanda

Ainda não consigo descrever muito bem o momento tão esperado do nascimento do filho. Converso incansavelmente com as mães que conheço e ouço vários relatos: me senti emocionada, me senti diferente, me senti deslocada, ouço.
O que eu sei: parece que uma realidade ficou para trás e renascemos, de uma forma ou de outra.


Percebo a maternidade acontecendo para mulheres fortes e de repente, a insegurança aparece. Afinal, é tudo tão novo. Mãe de primeira viagem. Não curto muito essa definição, afinal, somos todas mães de primeira viagem. Cada filho é um filho, e uma viagem diferente. E esse título muitas vezes parece pejorativo, como se uma mãe, por ser inexperiente, não pudesse saber o que seu filho quer, deseja ou necessita.
E nesse super redemoinho de emoções, precisamos estar prontas para a segunda parte da gestação: amamentar. Um momento tão novo, tão emocionante, tão carregado de cobranças internas e externas.
Cada pessoa que visita essa mãe tem um palpite, uma dica infalível. Isso quando …

Variando o cardápio - bolinho de arroz assado

Bom dia pessoal
Manter um cardápio variado em casa é um desafio de criatividade.  E garantir esse cardápio com o mínimo de desperdício é sustentável, econômico e muito bacana!
Bolinhos são boas opções para uma porção de coisas: juntar os ingredientes da geladeira, incentivar aquela criança que não está comendo muito bem (perceberam como as comidas para comer com as mãos encantam os baixinhos?), apresentar um novo ingrediente de uma forma nova. Hoje, vou colocar aqui minha receita (ou minha forma de fazer - receita certinha aqui é difícil, como vocês verão) de bolinho de arroz integral, gostosa, saudável, varia o cardápio do arroz básico do dia-a-dia.
Algumas considerações: se seu filho vai comer bolinho de arroz, libere-o de comer arroz ou outro carboidrato na mesma refeição... servir bolinho de arroz + arroz + farofa é muito carboidrato, tudo junto.  Faça molhinhos coloridos para seu filho "passar o bolinho" (Ketchup caseiro, iogurte com salsa, etc) ou sirva com uma sopinha. Fi…

Quando dizer não é difícil

Todos os dias, recebo e-mails, mensagens e comentários. Vários assuntos. E ultimamente, muitos com o assunto: meu filho está acima do peso. Por diversas vezes, o e-mail termina assim:
“ E ele( a criança) não entende e continua pedindo, implorando que quer guloseimas. Como fazê-lo entender que ele não pode”?
Respondo agora para as mães: o ideal é você dizer convicta, não, algumas vezes. Ele vai continuar pedindo. Mas ele nunca pode? Guloseima tem hora para comer. E você vai explicar isso pra ele. Possivelmente, seu filho não tem capacidade cognitiva para entender e simplesmente, parar de pedir. E você que o guiará nesse caminho.
Mas porque falar não, às vezes, é  tão penoso? Experimente dizer não 30 vezes por dia, e se verá louca para soltar um sim. Não queremos ser chatos. Queremos, como pai, ser amados. Queremos agradar. E falar não toda hora...
Mas claro, está no pacote, é necessário. Para a felicidade dos pequenos, é FUNDAMENTAL. E se entendermos o porquê dessa dificuldade, pelo menos…

Mesa de guloseimas saudáveis - Para festa de aniversário!

Olá pessoal!
Há algum tempo, tive o prazer de atender no consultório uma super nutri gravidinha (nutri também vai na nutricionista viu? Quando as áreas são diferentes...). O Rapha já morava na barriga dela, cresceu e cresce feliz e saudável.  E chegou o aniversário de um ano dele! Ela fez uma coisa tão bacana, que pedi para ela gentilmente dividir a ideia comigo e com vocês. A palavra está com você, Bárbara!
Olá queridas mamães!!!
Quando comecei a pensar no aniversário de um ano do meu pequeno Raphael eu não conseguia imaginar a festa sem "comidinhas “ que ele pudesse comer.
De cara descartei a ideia do Buffet infantil por não poder escolher o cardápio, comecei a pesquisar e lugar nenhum eu poderia escolher a não ser que eu fizesse em algum salão e eu mesma fizesse toda a comida... complicado, primeiro porque eu trabalho e não teria tanto tempo disponível assim, segundo porque salão nenhum cabia o extenso número de convidados do príncipe... (Raphael passou 9 dias nas UTI quando nasceu…

Deixa sem comer! Já ouviu isso?

Bom dia pessoal
Quando temos um filho que "não come" (você já leu sobre isso por aqui!), buscamos ajuda em vários cantos: vizinhos, médicos, internet, amigos... e em algum lugar, recebemos o conselho:
"Deixa sem comer pra você ver se não resolve!"
Ai os pais tentam - o quanto aguentam, claro. Por que essa frase, tão simples, é carregada de significados e sensações para os pais dos picky eaters (nome utilizado hoje, para definir as crianças que não comem). Vai ficar sem comer? Até quando? Vai ficar doente se não comer? Vai sofrer? Meu Deus, esse menino está sem comer há 7 horas e 35 minutos! Calma. Respira. Vamos falar um pouco desse "deixar sem comer"?
Na verdade, esse é um bom conselho. Utilizamos o 'deixar sem comer" para favorecer o apetite. O maior tempero é a fome. Se a criança não tem um espaço de tempo entre as refeições sem comer nada (nem suco, nem fruta, nem bala- nada!- apenas água), o apetite não vem, jogamos contra nós mesmos, somos nosso…