Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2012

Alimentação para maiores de 1 ano!

Eba! Chegou o tão esperado aniversário de 1 ano do bebê. Depois da correria da festa, voltamos ao dia-a-dia do bebê. Com uma nova dúvida. E a alimentação? Aí, passamos no pediatra, e ele indica: agora mãe, ele deve comer a alimentação família. A mãe comemora (ou não). Não precisa mais fazer papinhas... Aí eu entro: alimentação da família? Tenho medo dessa frase... prefiro dizer que agora a família vai comer a alimentação do bebê com a textura adaptada! Sabe porquê? Como é a alimentação dos adultos em casa? Você, mãe zelosa, vinha fazendo a alimentação perfeitinha, com todos os grupos alimentares e tal...como passou do primeiro ano, só arroz, feijão e carne é suficiente? Calma! Nada contra o arroz e o feijão, pelo contrário. Dupla fantástica, garante um prato quase completo. Lembra desse post? Quase completo por que o legume e/ou a verdurinha precisa acompanhar o prato. Como faziam na época da papinha. Portanto, a alimentação continuará com todos os grupos alimentares... fonte de carboidra…

Mais uma do Dudu, nosso menino que não come!

Contar histórias mirabolantes pode dar certo para a criança comer... porém, apenas por um tempo! Logo ele vai desconfiar que não vai se transformar em um monstrão! Pelo menos experimentou, não é verdade?        Para uma criança comer bem e de tudo, precisamos investir em uma ótima educação alimentar! O exemplo é um bom começo... já comeu uma fruta deliciosa e fresquinha com seu filho hoje?
Beijos e uma ótima semana! 

Prato divertido!

Olá pessoal!
Percebo na internet um grande movimento em relação à montagem de pratos com carinhas ou desenhos divertidos.
Mas afinal, isso é bom ou ruim? Não coagimos a criança? E, se não é indicado esconder os alimentos (já que assim a criança é "enganada"), disfarçar em formatos divertidos é legal?
Montar pratos divertidos é um estímulo, um carinho que pode incentivar seu filho a entrar no mundo da alimentação saudável. E não é coação. Afinal, o brócolis que remete a árvore no prato tem cara e gosto de brócolis. A criança pode falar: arvorezinha! E a mãe pode repetir, brócolis arvorezinha.
Já não dizia Shakespeare,se a rosa tivesse outro nome, ainda assim teria o mesmo perfume! O lúdico, a brincadeira, entra no universo da criança, e pode acessá-la. Montar pratos, servir comida de uma forma diferenciada, como em copos, ou com o auxílio dos cortadores, é válido. Como gostamos de ver a comida bonita na mesa, a criança também gosta. Já serviu o mesmo jantar em uma tigela? E em um …