Pular para o conteúdo principal

Prato divertido!



Olá pessoal!

Percebo na internet um grande movimento em relação à montagem de pratos com carinhas ou desenhos divertidos.

Mas afinal, isso é bom ou ruim? Não coagimos a criança? E, se não é indicado esconder os alimentos (já que assim a criança é "enganada"), disfarçar em formatos divertidos é legal?

Montar pratos divertidos é um estímulo, um carinho que pode incentivar seu filho a entrar no mundo da alimentação saudável. E não é coação. Afinal, o brócolis que remete a árvore no prato tem cara e gosto de brócolis. A criança pode falar: arvorezinha! E a mãe pode repetir, brócolis arvorezinha.

Já não dizia Shakespeare,se a rosa tivesse outro nome, ainda assim teria o mesmo perfume!
 
Imagem google
 
O lúdico, a brincadeira, entra no universo da criança, e pode acessá-la. Montar pratos, servir comida de uma forma diferenciada, como em copos, ou com o auxílio dos cortadores, é válido. Como gostamos de ver a comida bonita na mesa, a criança também gosta. Já serviu o mesmo jantar em uma tigela? E em um copinho?

A ciência está aí pra comentar. Uma pesquisa realizada em parceria entre a Universidade de Cornell, nos EUA e a Universidade Metropolitana de Londres, na Inglaterra, afirma que pratos coloridos, variedade, e uma disposição divertida dos alimentos incentivam as crianças a se alimentar melhor.

Mas não precisamos nem devemos ofertar o prato montado todos os dias. A ideia é aproveitar alguns determinados momentos. Já fazemos isso em aniversários, quando o bolo vem decorado com a foto do personagem. Podemos utilizar essa ferramenta para o estímulo da alimentação saudável.

Existem adultos que lembram com carinho que suas mães montavam os pratos divertidos, e isso os manteve em contato com aquele alimento até hoje. Já ouvi sobre rosto de macarrão, lua de kibe cru. A atenção e o carinho de quem ofertava auxiliou o apreço por aquele determinado alimento saudável.

O blog Nutrição Infantil tem uma página no facebook, cheia de ideias de pratos divertidos para inspirar vocês! Separei aqui os que fizeram mais sucesso. Mas vocês estão convidados para conhecer todos os outros, clicando aqui.


 
Chama a criançada pra ajudar, tira foto, manda pra  e boa diversão!

Comentários

  1. Ah! Faço isso tbm por aqui. Minha mãe fazia pra mim e minha irmã há 30 anos atrás e hoje, eu faço pra Lara. Ela ama! Fiz uma vez e ela agora já fica esperando a surpresa! BeijoBeijo. Andrea e Lara. http://coisas-da-lara.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olha só, certa vez fiz um prato assim pra Marinah e até postei no FB... Mas ela não curtiu muito a carinha do prato não... E não se sentiu confortável em comer o cabelo e o nariz do homenzinho do prato...
    E anda muito seletiva, então tenho mascarar um pouco legumes e verduras, se não nada feito...
    E aí? Vc acha que estou errada??
    Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querida!
      Infelizmente a exposição a um prato divertido não é uma ciência exata - como quase nada na vida! Mas não deixe de ensinar sua filha a comer as verduras e legumes com o exemplo, insistindo de diversas formas e formatos, com muito carinho, paciência e persistência!
      Beijos

      Excluir
  3. Adorei... Amei o seu blog, estou em busca de novos pratos para o dia a dia da alimentação dele. Com certeza vou tentar fazer um e depois conto como foi o resultado. Bjs
    Vivi e Isaac
    http://isaacparasempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu acho super válido, principalmente se a criança ajudar e a dar as opiniões dela também. Levo meu filho para comprar frutas, legumes e verduras toda a semana (é praticamente ele quem faz as compras no sacolão), decorar os pratos além de divertido é um estímulo à alimentação.... já comeram aqueles pratos bonitos todo enfeitado nos restaurantes? ficaria bem diferente e menos apetitoso se eles simplismente colocassem tudo bagunçado no prato!

    ResponderExcluir
  5. Adorei esse post! Eu não acho bacana a gente enganar a criança de jeito nenhum, de que adianta ela comer o brocólis escondido se quando ficar adulta vai rejeitar e ainda se lembrar que foi enganada?
    Não acho que enganar a criança seja legal, nem no que parece bobeira do tipo "Eu já volto já" e demora a tarde inteira para voltar. A gente tem a sensação de que pode mentir para criança por um bom motivo, mas acho que os fins nunca justificam os meios. A alimentação é uma coisa super importante na nossa vida e não acho que nenhuma relação baseada no disfarce, na enganação, seja lá como for é bacana.
    Uma opção é fazer aquela coisa de diversas formas e explicar para criança "Olha, você não gostou do jiló assim, mas a mamãe fez de outro jeito, experimenta para ver se assim você gosta".
    Se ele não quiser, paciência. Todos temos direitos aos nossos gostos, não?
    Cada vez mais gosto do seu blog =]

    ResponderExcluir
  6. Boa Tarde Karine.
    Minha filha tem um ano e dois meses e não quer outro alimento a ñ ser o peito .
    Gostaria muita da sua ajudar dicas de rotina alimenta horario quais os alimentos certo.
    Desde ja grata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querida!!
      Talitha, escrevi um post sobre a alimentação das crianças após um ano, procure aqui no blog: Alimentação para maiores de um ano!
      Espero que goste!
      Beijos

      Excluir
  7. Ola, estou precisando de ajuda meu filho tem 2 anos e meio e nunca foi uma criança de desfrutar varios alimentos, mais no geral comia comida, toma leite, algumas frutas em fim; So que de 2 semanas pra ca ele deu uma enjoada da comida e do leite com mucilon, percebi que ficou mais seletivo, aonde eu dava comida com legumes amassados, arroz me feijão. Mais agora ficou irreversivel fico muito triste com isso, tive a ideia de fazer as carinhas nos alimentos mais mesmo assim não adiantou ele chora muito na hora de comer, porem não era assim. Hoje esta frequentando escola aonde ja coloquei p/ facilitar pra ver se ele se empolga mais vendo outras crianças comerem. O que eu poderia fazer pra incentiva lo a comer, haaaaa qdo dei batata frita ele comeu mais sei que não tem nada de nutrientes, ele so quiz comer a batata. Mesmo a comida estando uma delicia ele nao sente interesse em prova la. Obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Adriana!
      Leia os textos daqui do blog intitulados "Meu filho não come" parte 2 e 3. Lá tem dicas de como atuar com seu pequeno inapetente.
      Um abraço!

      Excluir

Postar um comentário

Comente! A nutri adora conversar!

Pots mais lidos

Iogurte na alimentação das crianças

Bom dia pessoal!
Vou seguir uma indicação de uma leitora querida, Alethéia, e escrever sobre iogurte na alimentação das nossas crianças.
Eu sou superfã deste alimento! Rico em Cálcio (sempre estimulo consumo de alimentos ricos  neste micronutriente pois nossa população está bem carente....), tem a lactose (açúcar do leite) fermentada e por isso é de fácil digestão, rico em probióticos, as tais bactérias benéficas que equilibram nossa flora intestinal, fortalece o sistema imunológico e facilita o trânsito intestinal, entre outros benefícios.  O iogurte pode ser incluido na alimentação do bebê após o início da alimentação complementar, isso é, com 6 a 7 meses aproximadamente. Com algumas ressalvas e detalhes.
Detalhe número 1: O iogurte para dar para o bebê, necessariamente tem que ser natural e sem açúcar. Os petit suisses vendidos no mercados contém corantes, aromatizantes e conservantes, substâncias estranhas ao nosso organismo (nós nutricionistas chamamos estas substâncias de xenobiótic…

Intolerância a lactose em bebês? Provavelmente não!

Com certeza você já leu na web a palavra lactose. Dieta sem lactose. Iogurte sem lactose. Mas o que é lactose? Seria bom tirar das crianças também?
Lactose é um dos carboidratos do leite. A grosso modo, um açúcar presente em leites. 
Leite materno, por exemplo, tem muita, muita lactose.
Nosso corpo, para digerir esse açúcar, usa enzimas que estão presentes no nosso organismo. Essas enzimas moram nas vilosidades intestinais. Vou mostrar:



Quando um bebê está tranquilo, vivendo a vida bebelística, a lactose é uma benção pra ele. É sim. Lactose, quando é “quebrada” pela enzima, vira galactose e ajuda constituição de galactopeptídeos integrantes do sistema nervoso central. Ela também ajuda a acumular água livre para reserva de termo-regulação, através da sudorese. Já viu como bebês suam?
A lactose também está associada à acidez das fezes e à formação da microbiota intestinal específica (predominância de lactobacillo e bifidobacteria, probióticos, o must da saúde atualmente), o que pode ser imp…

Alimentação para maiores de 1 ano!

Eba! Chegou o tão esperado aniversário de 1 ano do bebê. Depois da correria da festa, voltamos ao dia-a-dia do bebê. Com uma nova dúvida. E a alimentação? Aí, passamos no pediatra, e ele indica: agora mãe, ele deve comer a alimentação família. A mãe comemora (ou não). Não precisa mais fazer papinhas... Aí eu entro: alimentação da família? Tenho medo dessa frase... prefiro dizer que agora a família vai comer a alimentação do bebê com a textura adaptada! Sabe porquê? Como é a alimentação dos adultos em casa? Você, mãe zelosa, vinha fazendo a alimentação perfeitinha, com todos os grupos alimentares e tal...como passou do primeiro ano, só arroz, feijão e carne é suficiente? Calma! Nada contra o arroz e o feijão, pelo contrário. Dupla fantástica, garante um prato quase completo. Lembra desse post? Quase completo por que o legume e/ou a verdurinha precisa acompanhar o prato. Como faziam na época da papinha. Portanto, a alimentação continuará com todos os grupos alimentares... fonte de carboidra…