quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Relactação - um relato de sucesso!

Um dos posts de maior sucesso aqui do blog é o de relactação. E melhor do que descrever a técnica, é saber o que passa na pele e na cabeça de uma mãe  que realmente passou por isso na pele.
E por isso, há algum tempo atrás, pedi para uma querida e guerreira mãe dividir a história dela com a gente!
A Denise Pimenta escreve o blog "A mãe do Léo", e eu indico especialmente dois lindos posts dela sobre amamentação: um poema e um pouco de história, com os benefícios da amamentação relatados.
 
Fica á vontade, Denise, e obrigada pelo depoimento!

Essa é a Denise e o Leo!


Relactação

Por Denise Pimenta

 
"Para chegar aonde devemos, ao assunto principal, devo começar contando nossa história, nossa experiência, que deu certo e muito!
Antes mesmo do nascimento do meu bebê, veio o colostro, vazava na cama, de chegar a molhar, e eu morrendo de felicidades por ver o leitinho, alimento do meu filho jorrando, abundantemente do meu seio.
Eis que a primeira lição: só ter o leite não basta. Amamentação depende de muitos fatores e não somente ter o leite.
Leonardo nasceu as 22h18minhrs e não mamou nas primeiras horas de vida, foi para o alojamento conjunto somente as 05h00minhrs, o que me leva a pensar que ele foi alimentado com fórmula durante esse tempo em que ficou longe de mim. Quando chegou no quarto, tentei amamentá-lo e ele sugou fortemente duas vezes, e já dormiu novamente. No outro dia, com orientações de enfermeiras, tudo se repetia, abocanhava, sugava duas a três vezes e dormia. Fomos para casa passadas 24hrs na maternidade, e o meu menino quando não estava dormindo, estava quietinho, no outro dia com ele em casa, e o desespero começando a bater, entramos em contato com o Banco de Leite de nossa cidade, aonde me orientaram via telefone a ordenhar o meu leite e oferecer a ele, consegui com muita dor, ordenhar 40ml de leite, e ofereci na mamadeira, com riscos de ele nunca mais pegar o meu seio. Ele mamou firmemente e desesperado a mamadeira em poucos minutos, ele sentia fome. Passada uma semana, em consulta, Léo tinha perdido aproximadamente 400 kg, foi quando recebi uma receita para alimentá-lo com fórmula, e sai de lá desnorteada, procurei o banco de leite desesperada, com olhos marejados, para mim o sonho de amamentar estava um passo do término.
Minha produção de leite baixou por isso a indicação de relactação e complementação com o leite artificial. Nas primeiras vezes relactando, eu ainda não tinha a prática de inserir a sonda na boquinha do bebê, assim como me orientaram no BL, eu colocava a sonda nº4 no meu dedo mindinho a parte maior no recipiente com o leite artificial e inseria o meu dedo na boquinha dele, complementávamos 30 ml de leite artificial a cada duas horas, após as mamadas no peito. E assim fomos durante aproximadamente 15 dias, nos dias que seguiram, consegui inserir a sondinha junto à boquinha do meu bebê, então a relactação fazia seu papel realmente, pois como se deve saber, a produção de leite se dá assim: quanto mais há sucção, maior a produção, e como dizem leite no peito não é estoque é fábrica, quanto mais de dá, mais se tem.
E assim persistindo, com muita paciência, chegamos a passar horas a fio, nas nossas mamadas, sentindo emoção ao ver o pequeno sugando e tomando meu leite, conseguimos estabilizar a produção, e em 45 dias, tivemos alta do acompanhamento no Banco de Leite, e seguimos somente com o meu leite. Léo mamou exclusivamente durante os seis primeiros meses de sua vida, com muito orgulho desse meu poder de mamífera. Tornei-me doadora do estoque de leite do banco de leite, e ainda hoje, com a introdução dos sólidos, ele ainda mama em livre demanda, isto é, quando ele solicita, estou disponível a ele, é apaixonado pelo leitinho da mamãe e eu apaixonada pela alimentação e minha melhor opção de amamentá-lo."
 
Emocionante e inspirador, né?

7 comentários:

  1. Nossa que lindo!! Eu tbm passei por uma situação parecida, tinha os mamilos internos e meu bebe nasceu de 8 meses, meu medico disse que eu não iria conseguir amamentar, simples assim, não tendo noção do que aquilo significava para uma mãe, mas não desisti, sofremos bastante, tive mastite e precisei tomar antibióticos, que quase tirou a minha esperança de amamentar meu filho. Foi assim até que por tanto insistir, acabou se formando um bico e ele conseguiu sugar, foi o segunda dia mais feliz da minha vida rsrs!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Que lindo seu relato! Parabéns!!!
    Já vi tantas mães oferecerem mamadeiras só por comodidade!
    Eu passei por algo parecido e também venci!
    Meu pequeno, quando nasceu ficou 27 dias na UTI e lá ele começou a perder peso tomando leite no copinho nas mamadas da madrugada e ai tiveram que dar mamadeira pra ele... Fora isso quando eu estava no hospital das (8h até as 22h) ele tinha, que mamar em 1 peito só e depois as enfermeiras davam uma mamadeira de leite AR por conta do refluxo que ele tinha. Isso durante 27 dias! E como eu não estava lá nas mamadas das 00h 03h 3 6h da manhã, eles davam só a mamadeira. Resultado: quando chegamos em casa ele queria a mamadeira! E eu só chorava! Louca p amamentar o meu bebê... Ai comprei uma mamadeira com um buraco para liquido ralo e o leite dele era grosso por ser AR, então era mais fácil mamar no meu peito do que na mamadeira, mesmo assim minha produção havia caído! Enfim, ficamos por 1 período peito+mamadeira ate eu conseguir tirar a mamadeira... Meu pequeno mamou ate 1 ano e 1 mês... Valeu muito a pena!!! E olha ele parou de mamar sozinho! Chegou um dia em que simplesmente ele não quis mais! Eu insistir por uma semana... mas não teve jeito... ele não queria mais! Confesso q ainda sim fiquei triste.... queria ter chegado perto dos 2 anos... mas já valeu muito a pena a minha insistência, porque amamentar é uma sensação única e indescritível... beijos

    ResponderExcluir
  3. Karine, obrigada pela oportunidade, espero ter passado realmente inspiração, boa sorte mamães, confie em seu leite e em seu poder de mamífera. :)

    ResponderExcluir
  4. Que lindo relato! Amei o blog e já estou seguindo!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  5. Meninas gostaria de ajuda..Me chamo Jaqueline e minha filha Camilli
    Quando minha pequena nasceu , eu simplismente achei magico amamentar ela pois era o meu sonho, com 5 dias em casa meu bico do peito começou a machucar e eu tive por um momento o pensamento em parar de amamentar mais também pensei muito pois eu sabia que não seria bom pra minha filha..Com muito custo e dor meu peito melhorou e eu continue amamentando. Com 3 meses da minha Filha eu não estava tendo leite na madrugada para amamentar e me indicaram para tomar Plasil e eu tomava 30gts antes de durmir meu leite voltou por uns 15 dias. Até então tudo normal. Voltei a trabalhar com 4 meses de vida da minha filha , no meu serviço eu ordenhava e conseguia tirar 100ml de cada peito consegui isso por 15 dias, meu leite foi parando e eu não conseguia tirar mais que 40ml de cada leite , comecei a introduzir LA e estava dando peito apenas na hora dela durmir. Hoje ela esta com 5 meses e meio esta comendo papinha, frutinhas e tomando suco as mamadas de LA diminuiu porem ela ainda quer mamar no meu peito ela puxa minha blusa pra mim dar pra ela , mas tem hora que ela berra pois não sai nada e ela esta fazendo apenas de chupeta. O que faço ?? eu gostaria que meu leite voltasse pois estou ficando em casa agora com ela o dia todo..
    Obrigada meninas

    ResponderExcluir
  6. Graças à Deus não tive problemas assim, a única coisa é que não tinha bico e na maternidade me ensinaram a usar bico de silicone. Mas minha pequena Giovanna, com sua boquinha boa fez criar bico em 1 semana. E minha filha com 1ano e quase 5 meses continua mamando e me sinto realizada por isso.
    Não existe sensação melhor.

    ResponderExcluir

Comente! A nutri adora conversar!