quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Amamentar dói?

Olá pessoal!

       Que o leite materno é o melhor alimento para a criança, as mães já sabem. Mas, e como é essa amamentação? Dói, machuca?
        Vou contar para vocês o que passei a umas semanas atrás. Nasceu mais uma priminha na família, a quarta filha do casal, e eu fui lá visitar. Chegou a hora de amamanetar. A mamãe, colocou a bebê no seio e foi logo exclamando: ai! Ui! Como dói! E a enxerida aqui, pediu licença:
-Posso te ajudar  fazer isso?

       Acertei a posição e a pega do bebê. E a mãe falou: ué, assim não dói!
Mágica? Dons divinos? Não pessoal, é só técnica. E imagina que essa mamãe tem experiência, é seu quarto bebê!
        O que acontece é que amamentar é natural, mas não é instintivo. Na hora do parto, não desce a luz na cabeça da mamãe e ela fará tudo certinho. Tem técnica correta. E aí, a nova mãe pode ser ajudada pela enfermeira no hospital, mas também pode ser que não. E como fica?
        A mãe precisa saber sobre amamentação ainda na gravidez! Pega, posição, tudo! Quando atendo grávidas, tem um certo momento no tratamento que dedico uma consulta so pra falar de amamentação. Além disso, vou até o hospital quando o bebê nasce, para fazer o "treinamento in loco". Existem cursos, empresas e profissionais direcionadas a amamentação. E vale a pena! Ou você pode ter o apoio de alguém próximo.
       O que dá pra fazer também, no hospital, é chamar a enfermeira e perguntar, perguntar muito! Estou fazendo certo? Tá direito? Porque meu seio esta assim? Perguntar é o remédio!
        Entre uma pega correta e uma pega inadequada, a diferença é muito pequena, tem que estar com o olho e a sensação bem treinada. O principal é: doeu ? Recomeça, pois está errado! A única coisa que pode acontecer é uma pontadinha no seio, e não no mamilo, no início da mamada. Já falei sobre isso aqui.
Dá uma olhadinha nesse víde, explica tudo direitinho, vale  pena, se você é gestante ou se tem um bebê novinho:


E você, como foi sua experiência? Conte pra gente!

Beijos!

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Criança vegetariana

Olá pessoal!

Quem acompanha o twitter @nutrinfantil já deve ter lido em algum momento sobre a novidade aqui de casa. Minha filha virou vegetariana! Foi mais ou menos um ano de muita conversa, muito questionamento, para auxilia-la a dar este passo.

Não sou vegetariana, nem ninguém da minha família é. A opção não foi imposta para a Bia e sim, ecolha dela. Ela é uma real amante dos animais (de todos), sempre gostou, pega qualquer inseto na mão (eca!) e hoje, tem uma amiga vegetariana. Aos poucos, foi falando sobre o desejo de parar de comer carne.
E sabe qual sempre foi o alimento favorito da Bia? Carne! Amava. Picanha então! Era o momento dela de comer bastante.
Também não defendo o vegetarianismo como uma alimenação, do ponto de vista nutricional, superior a dieta que inclui o consumo de carnes. Mas respeito profundamente as opções.

Porém,  a prioridade máxima é a saúde e o crescimento da criança. Uma alimentação mal planejada pode privar a criança de nutrientes essenciais, e causar danos sérios a saúde. Por isso, creio que quando uma criança torna-se vegetariana, precisa de acompanhamento nutricional  para adequar seu cardápio as suas necessidades.

Bom, isso não é problema aqui em casa, estou organizando pessoalmente o cardápio da Bia. As minhas preocupações iniciais são em relação a oferta de:

Gorduras: Carnes contém quantidade importante de gordura. Preciso ofertar outros alimentos para atender suas necessidades, para a Bia não perder peso, absorver algumas vitaminas, entre outras coisas.
Proteína: As carnes são basicamente proteína. Vou organizar o cardápio para conter todos os tipos de aminoácidos (partes menores da proteína) necessários para seu desenvolvimento.
Ferro: Anemia infantil, por deficiência de consumo de ferro, é muito comum no Brasil. Vou buscar fontes alternativas, e incluir facilitadores de absorção (como a vitamina C, que auxilia absorção do Ferro vegetal).
Vitaminas do Complexo B, especialmente a Vitamina B12: Além da adequação da dieta, vou lançar mão, de tempos em tempos, de suplementação. É o que a Associação Americana de Pediatria recomenda.
Zinco: é um mineral necessário, entre outras funções, para um ótimo desenvolvimento cerebral. Existem também, muitas fontes vegetais do mineral, vou incluir na dieta da Bia.

O bom dessa história é que a Bia está aceitando super bem os alimentos da nova dieta. Castanhas, nozes, quinua, chia, grão de bico, outras leguminosas. Também está comendo melhor as saladas, caprichando na quantidade de azeite, controlando o consumo de vitamina C no almoço (fofo, né?- ela verifica se no almoço dela tem alguma fonte de vitamina C na salada, no suco... se não tiver, ela mesma vai atrás de uma fruta cítrica de sobremesa).

Um novo desafio, uma nova vida. E por aí, conhece alguma criança vegetariana?

Beijos especiais!

P.S. A Bia hoje, é ovolactovegetariana!

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

O que tem na sopa do nenem? Janeiro!

Bom dia queridos!!!!

O que é ideal colocar na sopa do nenem? Ou no prato do filhote, ou no cardápio da gestante?
Em todos os lugares da mídia, existem dados sobre alimentação saudável. E mesmo se você for uma pessoa mais junk food por natureza, sabe que frutas e  vegetais fazem parte de um cardápio saudável (e delicioso, diga-se de passagem).
E existe uma infinidade de oferta destes alimentos. Coloridos, brilhantes, lindos. Com tantas opções, como escolher bem?
O princípio para uma boa escolha é optar pelos alimentos da safra, os alimentos da época.
Porém, nos mercados de hoje em dia, encontramos toda a disposição de frutas e vegetais, independente da época do ano. Quem não encontrou, na ceia, na mesa de frutas, um lindo morango, em pleno dezembro?

E porquê escolher apenas alimentos de época? Não respeitar a sazonalidade de produção dos alimentos envolve mais cuidados no cultivo, mais aplicação de insumos químicos, mais agrotóxicos, além de encarecer o produto.
Os alimentos da safra são mais nutritivos e saborosos.E sua família ganha mais saúde com eles! Que tal ir a feira mais próxima escolher os vegetais para o cardápio da semana da família? Abaixo, os alimentos que não podem faltar na sua lista!
Agora, todo início do mês vou escrever os alimentos da época para ajudar a guiar as compras!

Janeiro
Frutas: Abacaxi, carambola, coco verde, fruta-do-conde, framboesa, figo, laranja pera, mamão, maracujá, melancia, nectarina, uva, goiaba.
Legumes: abóbora, abobrinha, beterraba, pepipno, pimentão, quiabo, tomate.
Verduras: alface, cebolinha, salsa e couve.

Fonte: http://www.ceagesp.gov.br/produtos/epoca/produtos_epoca.pdf

Grande beijo