Pular para o conteúdo principal

Receita: Pão de "queijo" (mas sem queijo, com inhame)

Olá pessoal!

Hoje só tenho a agradecer uma querida amiga minha que está longe, que me mandou essa receita. Ficou tão boa que eu decidi dividir!

É um pão que muito lembra o pão de queijo. A receita original era mandioquinha, que minha amiga mudou para batata doce e que eu mudei para inhame. Um alimento super do bem!
Pras crianças pequenas, aumenta a imunidade, auxilia, inclusive, a prevenir resfriados. Para as tentantes, possui um fitohormônio que auxilia na fertilidade, pode ajudar na liberação dos óvulos..
Para alérgicos, não tem ovos, glúten ou leite!

Também tem a chia, que é opcional. Mas recomendo fortemente, tem fibras e ajuda a diminuir o índice glicêmico do pãozinho.

Tem que botar a mão na massa, sovar mesmo. Me lembrou meu pai. Quando eu era criança, ele fazia uma massa de pão de queijo que partia de um saquinho.. mas tinha que sovar... o cheirinho (de polvilho) era muito semelhante...

Pão de queijo (sem queijo) funcional

Nem bem amanheceu, uma receitinha especial para começar bem o dia!
500g de inhame cozido e amassado
500g polvilho azedo
2 colheres de chá de sal
3 colheres de sopa de chia
150ml azeite
Água em temperatura ambiente quanto baste (se precisar - eu não precisei)

Preparo:
Misture o polvilho com o azeite, sal e chia e forme uma farofa.
Adicione o inhame e amassa bem. Sove a massa.
Se precisar, adicione ao poucos a água até a massa ficar gostosa de trabalhar e desgrudar das mãos. Cuidado pra não molhar demais. A massa fica lisinha.

Fazer bolinhas e assar até dourar

Você pode congelar quando fizer bolinhas, Foi o que eu fiz, dez da noite, para garantir o café da manhã da família. Foi super aprovado. Recebi até um elogio especial da filha!
Hum, comi com o requeijão caseiro, receita da queridíssima Thais Ventura, do blog As delícias do Dudu!

Obrigada, Michele, pela receita e Fabinho, pela indicação de ser algo mesmo gostoso!
Saudades sempre

Beijos e bom apetite à todos!

Comentários

  1. Olá! Gostaria de saber se congelar antes de assar ou depois de assado?

    ResponderExcluir
  2. Amei a receita, só tenho uma dúvida: Posso substituir o polvilho azedo por tapioca (goma)?

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Na foto parece que ficou azul, fica mesmo?
    Desculpe mas onde encontro chia?
    Obrigada, gostei do blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, é a luz do amanhecer rsrs
      Em casa de produtos naturais!
      Obrigada! ;)

      Excluir
  4. Onde acho povilho azedo? Já fui em supermercado e hipermercado e não encontro, estou na região de São José dos Campos. A semente de linhaça também diminui o índice glicêmico do pão, como a chia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faça com o polvilho doce. Fica menos aerado, mas dá certo. Sim!

      Excluir
  5. Olá querida! Com 9 meses o bebê pode comer essa receita? obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas e o óleo? Não tem problema o bebê dessa idade consumir o óleo da massa?

      Excluir
  6. Adorei a receita,já que meu ´filho é alérgico a caseína.
    Encontrei o blog agora e vou olhar mais um pouco,já espiei uma receitinha de bolo de banana também.
    Seguirei!
    Abraço

    ResponderExcluir
  7. Oi Ká,
    eu estou para fazer essa receita, mas me surgiu uma duvida... 500g de inhame são quantos inhames?
    e outra, quanto rendeu?
    posso substituir a chia pelo oq pra diminuir o indice glicemico?

    ah! eu amo seu blog!
    Parabens e muitas vitórias pra vc!
    <3
    um beijo meu e do Gu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Najara!
      O ideal é pesar uns 750 a 800 gr no hortifruti. Cerca de 4, 5 inhames médios. Assim você consegue os 500gr de purê (pq descasca, tira partes "feias") Pode colocar linhaça, gergelim...
      Obrigada pelo carinho querida. Beijos em vocês.

      Excluir
  8. O inhame e o azeite tem que ser quente pra escaldar ou tudo frio?

    ResponderExcluir
  9. Bom dia Karine!

    Fiz mas ficou horrível! duro e emborrachado.

    ResponderExcluir
  10. Que outros tubérculos você sugere para substituir o inhame, já que tenho tido dificuldade em encontrá-lo por aqui, no interior do RS?

    Parabéns pelo seu trabalho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mandioca, batata baroa, batata doce.. na verdade, qualquer um!
      Obrigrada pelo carinho, Luciene!

      Excluir
  11. Fiz o pãozinho ficou horrível, duro

    ResponderExcluir
  12. no lugar do azeite pode ser óleo de girassol?

    ResponderExcluir
  13. Posso usar óleo vegetal no lugar do azeite?

    ResponderExcluir
  14. Bom dia Karine, adorei o seu blog. Fiz o pão com batata doce, a casca ficou lisinha não ficou grossa mas por dentro ficou muito pisuado, tipo um grude, onde será que errei?

    ResponderExcluir
  15. Oi, Karine!
    Já conhecia esse pãozinho, uma vez que fui em uma nutricionista e ela me passou uma receita com uns ingredientes bem carinhos rs. Consegui fazer somente algumas vezes devido ao alto custo.
    Mas essa receita sua é maravilhosa, tenho feito semanalmente deixo congelada e qdo assamos fica super fofinho, macio e uma casquinha crocante.
    Muito obrigada por compartilhar suas ideias.

    ResponderExcluir
  16. Olá, Karine!
    Parabéns pelo blog!! Tem sido maravilhoso para a nossa família!
    Estou com uma dúvida: minha filha tem 1 ano e 2 meses e nunca comeu sal. Considero que os ingredientes das papinhas e refeições já contém o sódio suficiente para ela. Porém recentemente tenho me preocupado com a falta do iodo, e na dúvida se devo começar a incluir o sal iodado na alimentação dela ou se não há necessidade ainda... O que vc orienta?

    ResponderExcluir
  17. Olá, Karine!
    Parabéns pelo blog!! Tem sido maravilhoso para a nossa família!
    Estou com uma dúvida: minha filha tem 1 ano e 2 meses e nunca comeu sal. Considero que os ingredientes das papinhas e refeições já contém o sódio suficiente para ela. Porém recentemente tenho me preocupado com a falta do iodo, e na dúvida se devo começar a incluir o sal iodado na alimentação dela ou se não há necessidade ainda... O que vc orienta?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comente! A nutri adora conversar!

Pots mais lidos

Iogurte na alimentação das crianças

Bom dia pessoal!
Vou seguir uma indicação de uma leitora querida, Alethéia, e escrever sobre iogurte na alimentação das nossas crianças.
Eu sou superfã deste alimento! Rico em Cálcio (sempre estimulo consumo de alimentos ricos  neste micronutriente pois nossa população está bem carente....), tem a lactose (açúcar do leite) fermentada e por isso é de fácil digestão, rico em probióticos, as tais bactérias benéficas que equilibram nossa flora intestinal, fortalece o sistema imunológico e facilita o trânsito intestinal, entre outros benefícios.  O iogurte pode ser incluido na alimentação do bebê após o início da alimentação complementar, isso é, com 6 a 7 meses aproximadamente. Com algumas ressalvas e detalhes.
Detalhe número 1: O iogurte para dar para o bebê, necessariamente tem que ser natural e sem açúcar. Os petit suisses vendidos no mercados contém corantes, aromatizantes e conservantes, substâncias estranhas ao nosso organismo (nós nutricionistas chamamos estas substâncias de xenobiótic…

Intolerância a lactose em bebês? Provavelmente não!

Com certeza você já leu na web a palavra lactose. Dieta sem lactose. Iogurte sem lactose. Mas o que é lactose? Seria bom tirar das crianças também?
Lactose é um dos carboidratos do leite. A grosso modo, um açúcar presente em leites. 
Leite materno, por exemplo, tem muita, muita lactose.
Nosso corpo, para digerir esse açúcar, usa enzimas que estão presentes no nosso organismo. Essas enzimas moram nas vilosidades intestinais. Vou mostrar:



Quando um bebê está tranquilo, vivendo a vida bebelística, a lactose é uma benção pra ele. É sim. Lactose, quando é “quebrada” pela enzima, vira galactose e ajuda constituição de galactopeptídeos integrantes do sistema nervoso central. Ela também ajuda a acumular água livre para reserva de termo-regulação, através da sudorese. Já viu como bebês suam?
A lactose também está associada à acidez das fezes e à formação da microbiota intestinal específica (predominância de lactobacillo e bifidobacteria, probióticos, o must da saúde atualmente), o que pode ser imp…

Alimentação para maiores de 1 ano!

Eba! Chegou o tão esperado aniversário de 1 ano do bebê. Depois da correria da festa, voltamos ao dia-a-dia do bebê. Com uma nova dúvida. E a alimentação? Aí, passamos no pediatra, e ele indica: agora mãe, ele deve comer a alimentação família. A mãe comemora (ou não). Não precisa mais fazer papinhas... Aí eu entro: alimentação da família? Tenho medo dessa frase... prefiro dizer que agora a família vai comer a alimentação do bebê com a textura adaptada! Sabe porquê? Como é a alimentação dos adultos em casa? Você, mãe zelosa, vinha fazendo a alimentação perfeitinha, com todos os grupos alimentares e tal...como passou do primeiro ano, só arroz, feijão e carne é suficiente? Calma! Nada contra o arroz e o feijão, pelo contrário. Dupla fantástica, garante um prato quase completo. Lembra desse post? Quase completo por que o legume e/ou a verdurinha precisa acompanhar o prato. Como faziam na época da papinha. Portanto, a alimentação continuará com todos os grupos alimentares... fonte de carboidra…