Pular para o conteúdo principal

Desejo que em 2018...



Desejo que em 2018, tenhamos oportunidades de nutrir melhor e com mais amor os nossos filhos. 

Desejo que as indústrias de alimentos decidam fazer o marketing para os pais e não para as crianças. 

Desejo que cada gestante tenha a oportunidade de comer melhor para cuidar da saúde de cada novo serzinho que vai povoar nosso mundo. 

Desejo bastante leite materno para as mães e muita, muita informação. Para quando o bichinho da dúvida picar as mães que amamentam, que não falte um abraço especial e uma palavra amiga para consolar suas inseguranças. 

Desejo empatia e carinho para as pessoas, que mesmo com as tentativas, a amamentação não rolou. 

Desejo que os pais sejam sempre respeitados em suas decisões em relação a alimentação de seus filhos. 

Desejo que as crianças inapetentes tenham um pouco mais de apetite para tranquilizar seus pais, mas não tanto, para que seus pais tenham a oportunidade de aprender a respeitar o primeiro sinal de "ei, estou aqui, sou uma pessoa que tem necessidades diferentes das suas" de seu filho. 

Desejo que experimentar comidas na sua casa seja motivo de festa! E que quando não der tempo de fazer alimentos para experimentar, que a comida do dia-a-dia seja muito elogiada!

Desejo que os pais tenham tempo. Tempo de sentar e comer uma refeição com os filhos, e que isso possa fazer parte da rotina. Tempo para fazer os alimentos dessa refeição. Tempo para prestar atenção uns nos outros.


Desejo que cada família saiba fazer pelo menos 3 refeições simples, rápidas e nutritivas para salvar aqueles dias corridos.


Ainda sobre os dias corridos, desejo as famílias freezers com alguns pratos de comida caseira, feita com amor ou por eles, ou por alguém que decide dividir esse amor em forma de alimentação. 

Para os pais de crianças obesas, desejo resiliência. Força para ajudar o pequeno a comer melhor e muito amor para livrá-la dos julgamentos. E que todos saibam que independente de qualquer coisa, o peso de uma criança jamais, jamais deve defini-la.

Desejo que a vida dos alérgicos seja mais amena, e que as reações, menos graves e a vida mais leve.



Venho aqui desejar um maravilhoso 2018 e meu muito obrigada para quem me acompanhou pelas redes sociais neste ano, tanto no meu pessoal como no @vilarejonutricao!

Vou tentar aparecer por aqui mais vezes neste novo ano ;)






Comentários

Pots mais lidos

Iogurte na alimentação das crianças

Bom dia pessoal!
Vou seguir uma indicação de uma leitora querida, Alethéia, e escrever sobre iogurte na alimentação das nossas crianças.
Eu sou superfã deste alimento! Rico em Cálcio (sempre estimulo consumo de alimentos ricos  neste micronutriente pois nossa população está bem carente....), tem a lactose (açúcar do leite) fermentada e por isso é de fácil digestão, rico em probióticos, as tais bactérias benéficas que equilibram nossa flora intestinal, fortalece o sistema imunológico e facilita o trânsito intestinal, entre outros benefícios.  O iogurte pode ser incluido na alimentação do bebê após o início da alimentação complementar, isso é, com 6 a 7 meses aproximadamente. Com algumas ressalvas e detalhes.
Detalhe número 1: O iogurte para dar para o bebê, necessariamente tem que ser natural e sem açúcar. Os petit suisses vendidos no mercados contém corantes, aromatizantes e conservantes, substâncias estranhas ao nosso organismo (nós nutricionistas chamamos estas substâncias de xenobiótic…

Intolerância a lactose em bebês? Provavelmente não!

Com certeza você já leu na web a palavra lactose. Dieta sem lactose. Iogurte sem lactose. Mas o que é lactose? Seria bom tirar das crianças também?
Lactose é um dos carboidratos do leite. A grosso modo, um açúcar presente em leites. 
Leite materno, por exemplo, tem muita, muita lactose.
Nosso corpo, para digerir esse açúcar, usa enzimas que estão presentes no nosso organismo. Essas enzimas moram nas vilosidades intestinais. Vou mostrar:



Quando um bebê está tranquilo, vivendo a vida bebelística, a lactose é uma benção pra ele. É sim. Lactose, quando é “quebrada” pela enzima, vira galactose e ajuda constituição de galactopeptídeos integrantes do sistema nervoso central. Ela também ajuda a acumular água livre para reserva de termo-regulação, através da sudorese. Já viu como bebês suam?
A lactose também está associada à acidez das fezes e à formação da microbiota intestinal específica (predominância de lactobacillo e bifidobacteria, probióticos, o must da saúde atualmente), o que pode ser imp…

Alimentação para maiores de 1 ano!

Eba! Chegou o tão esperado aniversário de 1 ano do bebê. Depois da correria da festa, voltamos ao dia-a-dia do bebê. Com uma nova dúvida. E a alimentação? Aí, passamos no pediatra, e ele indica: agora mãe, ele deve comer a alimentação família. A mãe comemora (ou não). Não precisa mais fazer papinhas... Aí eu entro: alimentação da família? Tenho medo dessa frase... prefiro dizer que agora a família vai comer a alimentação do bebê com a textura adaptada! Sabe porquê? Como é a alimentação dos adultos em casa? Você, mãe zelosa, vinha fazendo a alimentação perfeitinha, com todos os grupos alimentares e tal...como passou do primeiro ano, só arroz, feijão e carne é suficiente? Calma! Nada contra o arroz e o feijão, pelo contrário. Dupla fantástica, garante um prato quase completo. Lembra desse post? Quase completo por que o legume e/ou a verdurinha precisa acompanhar o prato. Como faziam na época da papinha. Portanto, a alimentação continuará com todos os grupos alimentares... fonte de carboidra…