Pular para o conteúdo principal

Asma, eczema e alimentação?


A alimentação saudável é vista como uma proteção de diversas doenças, disso, todo mundo sabe. Mas, quando pensamos “em que” doenças, pensamos geralmente nas patologias  ligadas à obesidade, como colesterol alterado, diabetes, pressão alta... e muitas vezes, quem não tem esses problemas em casa,  se esquiva, pode acreditar que aquele esse assunto não lhe é tão pertinente, já que seu filho não problema com o peso ou  doenças crônico transmissíveis.

 Essas crianças, geralmente tem uma liberdade na hora de escolher o que quer comer, e pode ser que a educação nutricional não foi “prioridade” no crescimento dela. Às vezes comentam: tão magrinho! Pode comer “besteira”, não tem problema.

Comer besteira pode não ter problema. Mas quando essa exceção vira a regra, o malefício não é só ligado ao peso, ao colesterol, ao diabetes. A alimentação é um elemento tão profundo, que muitas vezes tem haver com outras doenças também, doenças que, de cara, a gente pensa que não tem relação com a comida que está no prato.

Mas tem. Um estudo publicado na revista internacional Thorax, que acompanhou 500 mil crianças de mais de 50 países trouxe uma informação importante. Depois de verificar alguns fatores, o estudo concluiu que a criança que come três porções de fruta em uma semana, tem menor probabilidade de ter asma, eczema, doenças alérgicas ligadas às coceiras nos olhos. E a criança que come fasta food três vezes por semana, tem o risco aumentado de ter essas doenças.

Sobre frutas: infelizmente o brasileiro não consome como deveria, como vimos nesse post que dá dicas de come fazer seu filho comer  frutas. Sobre o fast food, muitas mães me diriam: isso é coisa de fim de semana, não tem em casa três vezes por semana!

Convido vocês então, para fazer uma reflexão! Será que o fast food é só aquele sanduíche daquela rede de lanchonetes bem específica? O que afinal, poderia ser considerado fast food?

E se carne, batata, salada e pão fazem parte de uma alimentação saudável, porque quando eles estão unidos em um sanduíche, necessariamente faz mal?
 
Só porque o nuggets é assado em casa, não significa que ele não é fast food!
Segundo artigos, ofast food” é um segmento no setor de alimentação que se constitui pela produção mecanizada de um determinado número de itens padronizados, os quais são sempre idênticos em peso, aparência e sabor. A Anvisa cita, ainda, que o fast food é  um alimento com alta densidade energética, ricos em gordura e carboidratos e pobres em vitaminas, minerais e fibras. Alguma semelhança com alguns alimentos de “pacote” que consumimos em casa?

Portanto, esse fast food, ou a alimentação altamente processada pode sim, fazer parte da sua vida, sem necessariamente você sair para comer três vezes por semana.

Quando somamos na semana “alimentar” da criança, um jantar de macarrão instantâneo, um almoço de macarrão com salsicha e aquele diz que não deu tempo de fazer alguma coisa, e o nuggets industrializado foi para o forno para fazer o papel do franguinho, tudo isso é fast food. Se o refrigerante é liberado em casa todos os dias, ou na maioria dos dias, isso é alimentação com muito fast food.

Se você tem filho alérgico em casa, anote tudo que seu pequeno comeu em uma semana, e faça uma avaliação crítica. Será que não tem muito fast food escondido por aí?

E como fugir do fast food? Aqui tem algumas dicas, de como preparar a sua alimentação com praticidade. Tem refeições que podem sim, ser feitas em pouco tempo, e com muita saudabilidade. Já dei também a receita de um macarrão bem rápido e nutritivo.

E quem sabe, fazer sim, o sanduíche que as crianças tanto gostam. Em casa, com os ingredientes já conhecidos, e até agregando alimentos bem ricos em vitaminas e minerais. Aqui tem uma receita de hamburguinho saudável para fazer um lanche pra ninguém botar defeito. Isso não é fast food, apesar de ser comida rápida!

Tudo na vida é equilíbrio, não é? Mas, para buscarmos o equilíbrio, a primeira fonte é a informação. Faça uma reflexão, e verifique se na sua casa tem mais fast food que você e sua família poderiam prever... e vamos nos mexer para mudar o quadro, e espantar as crises alérgicas de casa!

Beijos e ótima semana!
 
Referência bibliográfica:

Comentários

  1. Olá, Karine!
    Estou lendo todo o arquivo do blog e esta é a primeira vez que comento.
    Nem tinha passado nisso, pra mim fast food sempre foi aquele lá mesmo ;)

    Aqui sempre tem nuggets e hambúrguer. Não sempre, usamos apenas quando o dia foi realmente uma loucura e não temos tempo MESMO, e como sempre tem arroz e feijão, os nuggets quebram nosso galho.
    É difiícil isso acontecer em casa pois temos o cardápio semanal já colado na geladeira então já descongelamos o que precisa descongelar, etc..

    O que precisamos banir de vez é o refrigerante.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Olá karine,
    Sempre trazendo asuntos e artigos interessantes para suas leitoras, parabéns pela dedicação que faz o seu trabalho, tanto aqui no blog quanto nas consultas em seu consultório, para mim é um privilégio poder contar com suas orientacões.

    Obrigada.
    Daniely

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comente! A nutri adora conversar!

Pots mais lidos

Iogurte na alimentação das crianças

Bom dia pessoal!
Vou seguir uma indicação de uma leitora querida, Alethéia, e escrever sobre iogurte na alimentação das nossas crianças.
Eu sou superfã deste alimento! Rico em Cálcio (sempre estimulo consumo de alimentos ricos  neste micronutriente pois nossa população está bem carente....), tem a lactose (açúcar do leite) fermentada e por isso é de fácil digestão, rico em probióticos, as tais bactérias benéficas que equilibram nossa flora intestinal, fortalece o sistema imunológico e facilita o trânsito intestinal, entre outros benefícios.  O iogurte pode ser incluido na alimentação do bebê após o início da alimentação complementar, isso é, com 6 a 7 meses aproximadamente. Com algumas ressalvas e detalhes.
Detalhe número 1: O iogurte para dar para o bebê, necessariamente tem que ser natural e sem açúcar. Os petit suisses vendidos no mercados contém corantes, aromatizantes e conservantes, substâncias estranhas ao nosso organismo (nós nutricionistas chamamos estas substâncias de xenobiótic…

Sem açúcar, com afeto ou porque não dar açúcar ao bebê!

Sempre me perguntam, por quê não dar açúcar ao bebê? Ou então: posso dar açúcar orgânico, mascavo, produto adoçante?


O seguinte: a resposta inicial, todo mundo já sabe. Açúcar branco é caloria vazia, logo, não faz bem pra ninguém, dieteticamente falando. Essa caloria vazia pode ser traduzida em excesso de peso lá na frente - uma das doenças de mais difícil tratamento: a obesidade.
Mas tem um motivo mais profundo aí. Que eu vou explicar agora.
A necessidade de comer açúcar (alimentos doces) é do adulto. O bebê está provando tudo. Ele não sabe, por exemplo, que o suco de maracujá tem que ser adoçado. Sério. Ele vai aprender o que você mostrar a ele. Ele não sabe que a banana pode ficar melhor com açúcar. Ou não. A necessidade é nossa, não do bebê.
Só que, por natureza, o bebê já vem gostando de doce de fábrica. Ofereça açúcar, iogurte adoçado, chocolate, pirulito e geralmente você verá um bebê que vai comer e se lambuzar. A lactose do leite materno é levemente adocicada.
Por isso, não é um dos…

Alimentação para maiores de 1 ano!

Eba! Chegou o tão esperado aniversário de 1 ano do bebê. Depois da correria da festa, voltamos ao dia-a-dia do bebê. Com uma nova dúvida. E a alimentação? Aí, passamos no pediatra, e ele indica: agora mãe, ele deve comer a alimentação família. A mãe comemora (ou não). Não precisa mais fazer papinhas... Aí eu entro: alimentação da família? Tenho medo dessa frase... prefiro dizer que agora a família vai comer a alimentação do bebê com a textura adaptada! Sabe porquê? Como é a alimentação dos adultos em casa? Você, mãe zelosa, vinha fazendo a alimentação perfeitinha, com todos os grupos alimentares e tal...como passou do primeiro ano, só arroz, feijão e carne é suficiente? Calma! Nada contra o arroz e o feijão, pelo contrário. Dupla fantástica, garante um prato quase completo. Lembra desse post? Quase completo por que o legume e/ou a verdurinha precisa acompanhar o prato. Como faziam na época da papinha. Portanto, a alimentação continuará com todos os grupos alimentares... fonte de carboidra…