Pular para o conteúdo principal

E tá um frio aqui em São Paulo...

Eu amo frio! Adoro a sensação, me sinto melhor, adoro casacos, filme, casa, cobertor...
Mas quem está aqui, na minha cidade, observa (ou sente) que estamos em uma fase crítica! Amiga do sul diz que o está congelando mais ou tanto quanto aqui. Criança sente, né?
 
E fim de semana descobri uma forma ótima de aquecer a casa, principalmente se você, como eu, vive em apartamento.
Não temos calefação aqui né? Pelo menos a maioria de nós. Vamos fabricar uma mini calefação com os nossos fogões! Receitas que passam horas no fogo baixinho aquecem a casa!
 
Aproveitei o frio pra fazer caldo de legumes (base para risoto ou outros pratos). A receita original que comecei a usar é a do Panelinha, mas fui agregando. Caldo de legumes aqui em casa é sinal de aproveitamento de talos. Vou cozinhando, congelando os talos, e em dia de caldo, todos os talos vão pra panela. E a maioria dos caldos aqui, é a base só de vegetais.
 
Também tem uma receita fresquíssima e saudável da querida Thais Ventura do Delícias do Dudu. No caldo dela, ela usa os ingredientes do caldo batido no próprio caldo. Ótima opção para reforçar a alimentação dos pequenos.
 
Aqui no blog já postei minha receita de creme de abóbora no caldo de frango. É só dispensar a panela de pressão e cozinhar calmamente o caldo de frango em uma panela comum. O segredo é esperar ferver em fogo alto, e aí, baixar o fogo.
 
Dá pra fazer picadinho, cozido de carne, boeuf bourguignon (amo!), cozido de frango e aquecer a casa. Mães ou pais ou avós que estão em casa, é só colocar desde a hora do café da manhã a panela pra aquecer com água, ingredientes frescos (ervas, pimentão, legumes, o que a imaginação mandar) e cozinhar lentamente, no fogo baixo. Na hora do almoço tá pronto. Se vocês chegam em casa mais tarde, corre pra cozinha assim que chegar, coloca tudo na panela, e deixa lá, umas três horas, pra aquecer a casa durante o preparo, e pra aquecer a alma durante o jantar!
 
E por aí, alguém divide uma receita que precisa ficar muito tempo no fogo?
 
Beijos e ótimo frio!

Comentários

  1. Oi Ká!!! Esse post me lembrou sexta feira passada...cheguei em casa e fui logo fazer uma sopa de legumes pra esquentar! Usei um caldo de carne que eu tinha congelado (caldinho aproveitado de uma carne de panela)..hummm ficou bom e esquentou até!! Beijos :)

    ResponderExcluir
  2. Oi Dra!!
    Minha filha tem 1 ano e 3 meses e não gosta de frutas,tdas ela faz ansia,e até arrepia...o que ela aceita um pouco é papinhas prontas de frutas e banana amassada...mas muito pouco...outro problema tb é que ela só mama dormindo..já tentei todos os leites possíveis,mamadeira,copo,não tem jeito,ela sente o gosto e não toma...O que posso fazer por exemplo depois do jantar na hora de dormir para que ela não passe fome durante a noite??Ela almoça e janta muito bem,mas leite e frutas nem pensar...sofro muito com isso,pq quando saimos de casa pra fazer ela dormir é complicado só pra tomar o leite...Ela pesa em torno de 12 kilos e 81 cm de altura.Um beijo e obrigada pela ajuda!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Querida, para sanar suas dúvidas e te dar opções, eu precisaria conhecer mais a fundo a sua rotina, e a história da sua filha. Considere levá-la em uma consulta com uma nutricionista da sua cidade.
      Abraços

      Excluir

Postar um comentário

Comente! A nutri adora conversar!

Pots mais lidos

Iogurte na alimentação das crianças

Bom dia pessoal!
Vou seguir uma indicação de uma leitora querida, Alethéia, e escrever sobre iogurte na alimentação das nossas crianças.
Eu sou superfã deste alimento! Rico em Cálcio (sempre estimulo consumo de alimentos ricos  neste micronutriente pois nossa população está bem carente....), tem a lactose (açúcar do leite) fermentada e por isso é de fácil digestão, rico em probióticos, as tais bactérias benéficas que equilibram nossa flora intestinal, fortalece o sistema imunológico e facilita o trânsito intestinal, entre outros benefícios.  O iogurte pode ser incluido na alimentação do bebê após o início da alimentação complementar, isso é, com 6 a 7 meses aproximadamente. Com algumas ressalvas e detalhes.
Detalhe número 1: O iogurte para dar para o bebê, necessariamente tem que ser natural e sem açúcar. Os petit suisses vendidos no mercados contém corantes, aromatizantes e conservantes, substâncias estranhas ao nosso organismo (nós nutricionistas chamamos estas substâncias de xenobiótic…

Sem açúcar, com afeto ou porque não dar açúcar ao bebê!

Sempre me perguntam, por quê não dar açúcar ao bebê? Ou então: posso dar açúcar orgânico, mascavo, produto adoçante?


O seguinte: a resposta inicial, todo mundo já sabe. Açúcar branco é caloria vazia, logo, não faz bem pra ninguém, dieteticamente falando. Essa caloria vazia pode ser traduzida em excesso de peso lá na frente - uma das doenças de mais difícil tratamento: a obesidade.
Mas tem um motivo mais profundo aí. Que eu vou explicar agora.
A necessidade de comer açúcar (alimentos doces) é do adulto. O bebê está provando tudo. Ele não sabe, por exemplo, que o suco de maracujá tem que ser adoçado. Sério. Ele vai aprender o que você mostrar a ele. Ele não sabe que a banana pode ficar melhor com açúcar. Ou não. A necessidade é nossa, não do bebê.
Só que, por natureza, o bebê já vem gostando de doce de fábrica. Ofereça açúcar, iogurte adoçado, chocolate, pirulito e geralmente você verá um bebê que vai comer e se lambuzar. A lactose do leite materno é levemente adocicada.
Por isso, não é um dos…

Alimentação para maiores de 1 ano!

Eba! Chegou o tão esperado aniversário de 1 ano do bebê. Depois da correria da festa, voltamos ao dia-a-dia do bebê. Com uma nova dúvida. E a alimentação? Aí, passamos no pediatra, e ele indica: agora mãe, ele deve comer a alimentação família. A mãe comemora (ou não). Não precisa mais fazer papinhas... Aí eu entro: alimentação da família? Tenho medo dessa frase... prefiro dizer que agora a família vai comer a alimentação do bebê com a textura adaptada! Sabe porquê? Como é a alimentação dos adultos em casa? Você, mãe zelosa, vinha fazendo a alimentação perfeitinha, com todos os grupos alimentares e tal...como passou do primeiro ano, só arroz, feijão e carne é suficiente? Calma! Nada contra o arroz e o feijão, pelo contrário. Dupla fantástica, garante um prato quase completo. Lembra desse post? Quase completo por que o legume e/ou a verdurinha precisa acompanhar o prato. Como faziam na época da papinha. Portanto, a alimentação continuará com todos os grupos alimentares... fonte de carboidra…