Pular para o conteúdo principal

Meu filho não come! Parte 2 - pré-escolares.

Bom dia pessoal!!!!

Hoje volto naquele assunto que tira o sono de muitas mamães...as crianças que não comem.
Agora estamos falando daquelas crianças maiorzinhas, que correm enquanto a mamãe corre atrás com o prato de comida e a colher na mão, ou é aquele drama sentado na mesa, a criança não quer, não abre a boca, cospe ou "finge" uma náusea.
E todo dia é a mesma coisa! Um momento de estress em família.

Pra iniciarmos essa conversa, gostaria que a mãe avaliasse sua prórpia ansiedade. Criança magra não é criança desnutrida ou anêmica (só quem pode afirmar isso é o pediatra ou o nutricionista). Aquele bebê fofo, que raspava o prato e comia tudo que você dava, foi substituido por uma criança que naturalmente, tem menor apetite. A partir de 2 anos acontece uma redução natural no apetite do pequeno. E algumas mamães sempre querem que eles raspem o prato, em todas as refeições.

Vamos as dicas:

Horários das refeições: crianças se sentem seguras e gostam de rotina, e por isso, é tão importante mantermos uma rotina também na alimentação do seu filhinho. Claro que existirão dias especiais, festas, comemorações ou viagens que vão "atrapalhar" a rotina, mas estes dias tem que ser a excessão, e não a regra.

Delimite horários para a alimentação do seu pequeno. Cinco a seis refeições diárias são ideais. Café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e lanchinho antes de dormir. Você adequa de acordo com a realidade da sua família.
Determinados os horários, não dê nada de comer a ele nos intervalos. Nem suco, nem 1 balinha, nem um pedaço de fruta, nada! Apenas água. Qualquer coisa fora do horário é belisco, e belisco atrapalha o apetite.
Há, mas pra você nutri, é fácil falar, meu filho vai lá e pega as coisas no armário. Bom, tenho que comentar que quem manda, é a mamãe e o papai. Não deixe alimentos à vista ou ao alcance de seus filhos.
Até aí tudo bem. Você escolheu os horários, está seguindo, e na hora do almoço, ele não quer comer, não tem jeito.
O que eu faço? Forço? Faço chantagem? Ofereço leitinho no lugar?
A resposta é: não faça nada! Nada de demostrações de preocupação, brigas, ou ofertar outro alimento. Simplesmente ele não vai comer em uma refeição, não vai comer nada mesmo. FIQUE TRANQUILA(O)!
Seu príncipe ou sua princesa não vão ficar doentes, ou morrer de fome por "pular" essa refeição. Mas na próxima refeição, vai estar com fome. Se não estiver, explique que ele só comerá na próxima refeição. Respire fundo e espere mais uma vez até a próxima refeição. Continue tranquila(o). Quando ele estiver com fome, comerá. Com o tempo, e eu digo que o tempo dura até aproximadamente 3 dias, você educará o apetite do seu filhinho.

Em relação ao "forçar", como comentei, não é recomendado. isso só vai trazer um sentimento ruim relacionado aquela comida, e criança é esperta demais. Sempre quer mais atenção. E se, não comer é uma forma de chamar sua atenção, é o que ele vai fazer, se você der muita importancia ao episódio. Se deixar um pouco no prato, respeite o apetite do pequeno.

Participar da elaboração da refeição: Chame seu filho para auxiliar na escolha dos ingredientes, no preparo da comida, ou da montagem do prato. As crianças costumam se interessar pelo que preparam.

Beleza no prato: Muita comida no prato pode deixar seu filho com ansiedade, com a sensação que não vai dar conta. Monte a refeição em um prato grande, com menos comida, bem bonito e bem colorido, forme desenhos, carinhas, sorrisos e varie bastante o cardápio, servindo o mesmo alimento de diversas formas (Ex: beterraba: cozida, crua, ralada, quadradinhos). Também analise se a comida está quente demais, ou fria demais.

Olha que delícia de palhacinho! Escondidinho, que pode ser feito com purê de batata ou mandioca e recheio de frango, carne ou atum desfiado. Sorrisinho e nariz de tomate, olhos de ervilha, cabelo de cenoura e gravatinha de brócolis

Esse é criatividade total! Arroz branco, ovo cozido, alface, cenoura, ervilha, picles, palmito, tomate, alface...uma refeição completa em forma de coelhinho! Quem resiste?

Simples e fácil de fazer! Macarrão, cozinha rápido. Brócolis e couve-flor, pode usar as versões congeladas.O hambúrguer pode ser feito com antecedência (carne moída, ovo para dar liga e temperos) e congelado, assado ou grelhado na hora, e um pedaço de cenoura para enfeitar a casinha! Rápido e eficiente!

Última dica do dia: cuidado com barulhos, tv ligada, brincadeiras na hora de comer. Hora de comer é hora de comer, e tem que ser respeitada!

De presente pra vocês eu coloco este vídeo de um desenho muito bonitinho e divertido, que mostra o Charlie incentivando sua irmãzinha Lola a comer, usando a criatividade! Assita junto com seu filhinho, que ele vai gostar!

Bon appetit!!!!!!

Comentários

  1. Oi Karine, muito legal seu blog.
    Vi pela página do Meu Nutricionista no facebook e achei super interessante! Parabéns pelo trabalho, vou divulgar no meu blog.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Laís, muito obrigada!
    E parabéns pelo seu blog também!
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  3. Que lindo os pratos criativos!
    Ótimas dicas!

    =)

    ResponderExcluir
  4. Karine,
    Parabéns!
    Adorei!
    Tenho certeza que será um sucesso.
    Vou divulgar
    Eleusa

    ResponderExcluir
  5. Nossa!!! que pratos mais lindos!!!!
    Parabéns pelo Blog! Vamos enriquecer a saúde de nossas crianças, não é mesmo?

    ResponderExcluir
  6. Obrigada pelos elogios, pessoal!
    Vamos sim Renata, e não é exagerado dizer que crianças bem alimentadas são mais felizes!
    Um grande beijo!

    ResponderExcluir
  7. Muito interessante e criativo, seu blog Karine.
    Estou no segundo período de nutrição, e vejo que apresentar os alimentos de uma forma mais dinâmica as crinças,faz com que elas queiram experimentar, e tenham interesse em criar novos pratos...
    Ianara.

    ResponderExcluir
  8. Karine,
    Passo por um momento que reflete o que escreveu em seu blog.
    Preciso reajustar a alimentação do meu filho que até os seus 2 anos e 9 meses incorporou hábitos que não são saudáveis.
    Estamos deixando ele com fome para ensiná-lo a comer e passamos a nos reunir mais nos horários das refeições para que ele aprenda com o exemplo.
    Não tem sido fácil, ele chora, não entende, faz birra, mas tenho esperança que ele vai aprender a se alimentar bem e sentadinho na mesa comendo sozinho ou com a nossa ajuda.
    Estou triste por ter deixado a situação chegar a esse ponto, pois achava que estava fazendo o melhor pra ele e na verdade não tinha coragem de tomar uma atitude firme como agora.
    Obrigada por nos ajudar.
    Juliana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida, fique firme!
      Muita força e muito carinho pra você!
      Boa sorte sempre, e não se culpe. O que passou, passou.
      Você vai colher os frutos logo mais.
      Beijos

      Excluir
  9. Karine, minha filha tem um ano e três meses e come super bem: frutas, verduras, legumes, arroz, feijão... Nada de açúcar e pouquíssimo sal. Mas às vezes, quando está resfriada ou com dentinho nascendo, ela dá trabalho para almoçar ou jantar. Nessas situações eu não forço e antecipo a fruta da sobremesa porque acho melhor que ela coma fruta do que ficar sem nada. Você acha ruim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tereza!
      Você está certa! Precisamos respeitar estes pequenos momento de inapetência, tão comuns quando vem os dentinhos, ou quando os pequenos estão indispostos... e a fruta é um alimento tão essencial como o arroz com feijão!
      Beijos

      Excluir
    2. Muito obrigada pela resposta, Karine. Seu blog é um serviço de utilidade pública :)

      Excluir
  10. Olá, karine

    Sou de Montes claros MG e aqui em casa tenho uma dupla daquela de levantar os cabelos.Um de 6 anos e meio que nao come nada e outro de 4 e meio que devora TODO.Já fui do deixar a vontade ao travar geladeira com fita adesiva.E ai me pergunto quem manda nesta casa,assim tentando acertar só erro.O mais velho não ganha peso em um ano Vasculhado seu blog vou tentar suas dicas com esperança de na proxima pesagem a balança me traga uma boa surpresa.
    Caso tenha mais dicas pra serão bem vindas.Meu email -andreia_lng@yahoo.com.br.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Andreia, você é da cidade da minha sogra!
    Qualquer dúvida pontual, estou aqui à disposição!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Olá, Karine
    De muita ajuda o seu blog. Parabéns! Peço uma orientação sua, pois há dois meses minha filha, agora com dois anos e quatro meses, rejeita a comida, o suco e as frutas em geral. Só quer comer biscoito de polvilho, abacate e avocado. Belisca farinha de mandioca torrada (que sempre pede!), mexe no prato, foge da colher e não come. Ela sempre pareceu não apreciar alimentos doces (rejeita também bolachas doces, mingaus e danoninho) e, ao perceber alimentos mais sólidos, cospe tudo. O que faço? O pediatra acha que devo oferecer e, se ela não quiser, simplesmente pular a refeição, mas não consigo fazer isso, pois ela começa a ficar inquieta e nervosa, com fome, e acabo oferecendo o leite. Não relacionei a nenhum acontecimento que possa ter desencadeado isso. Estou muito preocupada!

    ResponderExcluir
  13. Karine! Estou apaixonada pelo seu blog, parabéns! Sou estudante de nutrição, e acredito q o mundo precisa de mais nutris como vc, da pra sentir seu amor em cada pedacinho do blog.
    parabéns!
    bjo

    ResponderExcluir
  14. Olá Karine... minha filha tem 1 e 3 meses e nunca aceitou uma papinha, não gosta de sabores misturados, nem qdo coloca mais de um item na colher, e não aceita muita coisa na colher. Vamos dizer que ela faz BLW por conta própria, até arroz com com a mão, come poucas coisas, e em pouca quantidade. Mama no peito em livre demanda, devo colocar horários p mamar? pq qdo ela n aceita um alimento, quer mamar (esse seria o beliscar dela). Participo do grupo alimentação consciente, sigo as dicas sua e da Thais, mas ela é muito seletiva. Se puder me ajudar agradeço =) Rafaella Ribeiro

    ResponderExcluir
  15. Olá Karine, tenho 3 filhos e com a minha primeira filha errei demais , eu era muito nova, totalmente desprovida de informações e sempre deixava ela comer muito doce , já com os meus 2 outros filhos , tenho acertado pois comem de tudo (tudo saudável) . Como fazer a mais velha comer frutas (ela não come nenhuma, chora e faz ânsia quando tento dar ) e legumes (só come se eu esconder na comida e olhe lá ) ??? Ela tem 3 anos , e está saudável , mas fico muito mal de ver como a alimentação dela é ruim e pobre de nutrientes ...

    ResponderExcluir
  16. Boa noite Karine! conheci seu blog hj, numa busca desesperada por ajuda. tenho gêmeos de 7 anos e 10 meses. Um deles come de tudo, o outro nao prova nada, nao quer comer carne vermelha, frango, peixe, verdura , legumes e nem feijão. Ele esta com o colesterol altíssimo, adora ovo,empanado, linguiça, salsicha e hamburguer, mas eu só deixo ele comer o que gosta de 15 em 15 dias. Ja nao sei o que fazer, tem dia que ele vai para a escola só com água. Por favor me ajude!!!!

    ResponderExcluir
  17. Muito útil! Estou adorando as dicas. Meus posts prediletos são os com receita. Apesar de mãe, pouco sei cozinhar, e minha menina está começando a comer comida de panela, então tenho que me apressar em aprender! ��

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comente! A nutri adora conversar!

Pots mais lidos

Iogurte na alimentação das crianças

Bom dia pessoal!
Vou seguir uma indicação de uma leitora querida, Alethéia, e escrever sobre iogurte na alimentação das nossas crianças.
Eu sou superfã deste alimento! Rico em Cálcio (sempre estimulo consumo de alimentos ricos  neste micronutriente pois nossa população está bem carente....), tem a lactose (açúcar do leite) fermentada e por isso é de fácil digestão, rico em probióticos, as tais bactérias benéficas que equilibram nossa flora intestinal, fortalece o sistema imunológico e facilita o trânsito intestinal, entre outros benefícios.  O iogurte pode ser incluido na alimentação do bebê após o início da alimentação complementar, isso é, com 6 a 7 meses aproximadamente. Com algumas ressalvas e detalhes.
Detalhe número 1: O iogurte para dar para o bebê, necessariamente tem que ser natural e sem açúcar. Os petit suisses vendidos no mercados contém corantes, aromatizantes e conservantes, substâncias estranhas ao nosso organismo (nós nutricionistas chamamos estas substâncias de xenobiótic…

Alimentação para maiores de 1 ano!

Eba! Chegou o tão esperado aniversário de 1 ano do bebê. Depois da correria da festa, voltamos ao dia-a-dia do bebê. Com uma nova dúvida. E a alimentação? Aí, passamos no pediatra, e ele indica: agora mãe, ele deve comer a alimentação família. A mãe comemora (ou não). Não precisa mais fazer papinhas... Aí eu entro: alimentação da família? Tenho medo dessa frase... prefiro dizer que agora a família vai comer a alimentação do bebê com a textura adaptada! Sabe porquê? Como é a alimentação dos adultos em casa? Você, mãe zelosa, vinha fazendo a alimentação perfeitinha, com todos os grupos alimentares e tal...como passou do primeiro ano, só arroz, feijão e carne é suficiente? Calma! Nada contra o arroz e o feijão, pelo contrário. Dupla fantástica, garante um prato quase completo. Lembra desse post? Quase completo por que o legume e/ou a verdurinha precisa acompanhar o prato. Como faziam na época da papinha. Portanto, a alimentação continuará com todos os grupos alimentares... fonte de carboidra…

Sem açúcar, com afeto ou porque não dar açúcar ao bebê!

Sempre me perguntam, por quê não dar açúcar ao bebê? Ou então: posso dar açúcar orgânico, mascavo, produto adoçante?


O seguinte: a resposta inicial, todo mundo já sabe. Açúcar branco é caloria vazia, logo, não faz bem pra ninguém, dieteticamente falando. Essa caloria vazia pode ser traduzida em excesso de peso lá na frente - uma das doenças de mais difícil tratamento: a obesidade.
Mas tem um motivo mais profundo aí. Que eu vou explicar agora.
A necessidade de comer açúcar (alimentos doces) é do adulto. O bebê está provando tudo. Ele não sabe, por exemplo, que o suco de maracujá tem que ser adoçado. Sério. Ele vai aprender o que você mostrar a ele. Ele não sabe que a banana pode ficar melhor com açúcar. Ou não. A necessidade é nossa, não do bebê.
Só que, por natureza, o bebê já vem gostando de doce de fábrica. Ofereça açúcar, iogurte adoçado, chocolate, pirulito e geralmente você verá um bebê que vai comer e se lambuzar. A lactose do leite materno é levemente adocicada.
Por isso, não é um dos…