Pular para o conteúdo principal

Refeições em família

Olá queridos!

O mundo atribulado em que vivemos, os compromissos, tanto dos pais, como das crianças, acabam tomando nosso tempo. Um corre pra cá, outro corre pra lá, eu almoço às 14:00, mas a empregada dá comida às crianças ao meio dia, se não, não dá tempo de chegar a aula de inglês.
Conhece esse quadro? Pois é, essa é a realidade de muitas famílias. As crianças ultimamente comem aonde querem e quando querem. Há pouco tempo atrás, vi um programa super legal na TV que falava da rotina de duas crianças, uma, em que a mãe trabalhava em tempo integral, e outra, que a mãe abidicou de trabalhar para poder ser mãe em tempo integral. E estranhei, ao ver o horário da refeição da filha que tinha a mãe presente todo o tempo. A mãe levou o prato de comida até o quarto da filha, que almoçou sozinha, sentada na cama, em frente a TV.

Não estou aqui para julgar ninguém, mas quero informar. Vi, no último Congresso Paulista de Nutrição, menção a estudos que indicam que, a criança que realiza 4 refeições em família por semana, tem menores índices de consumo de droga na adolescência, obesidade, problemas de comportamento (agressividade, por exemplo) e depressão. Não é incrível este dado? Parece mágico, jantamos com nossos filhos quatro vezes por semana, e eles ficam protegidos dos nossos maiores medos como mães e pais. Ou então tomamos café  duas vezes por semana, almoçamos uma e jantamos uma. Enfim, fazemos estas quatro refeições como melhor nos couber. Este número, pessoal, até que é fácil de alcançar!

A refeição tem que ser feita na mesa e sem TV em frente a mesa.
E tem outra coisa, tem que desligar a TV que estiver por perto, não basta não olhar pra ela. A tv ligada em algum ambiente próximo a refeição prende a atenção em outra coisa que não é a família.
Quando a criança (de qualquer idade) come em frente a TV, ela perde a sensibilidade em relação a saciedade, o quanto já está bom de comer, qual o momento de parar. Será que você, ou seu pequeno, ao comer algo em frente a TV, não se surpreenderam observando que o alimento havia acabado do pote e vocês nem perceberam?
Outra coisa: hora de refeição não é hora de brigar. Não é hora de cobrar nota, nem de castigo, nem de forçar a comer.
Pra finalizar, coloco este vídeo super especial que fala um pouco do que discutimos aqui. Vale muito a pena conferir!


Qual idade da criança já iniciamos o processo alimentação em família? Com 1 aninho, o bebê pode comer no mesmo horário que os pais - claro que exige malabarismos do tipo, todo mundo senta com o prato, a mãe vai comendo enquanto serve o pequenino, e quando o pai terminar o jantar, troca de lugar com a mãe e vice-versa. O que vale é esse momento em família, só de vocês!

Beijos com carinho de família!

Comentários

  1. Gostei!
    A primeira ilustração do post então, uma graça ...rs

    Pior que é bem assim, as crianças imitam os pais, tem essa rotina prática e 'tóxica' desde de pequeno e mantém quando grande.

    ResponderExcluir
  2. Adorei seu post sobre amamentação no blog da Mamãe Moderna também!

    Para quem não viu é só acessar pelo link http://t.co/pd5iTSD

    ResponderExcluir
  3. Adorei o blog e as dicas!
    Obrigada pelo comentário lá no blog.
    Estou te enviando uma receita de pizza portuguesa sem gluten... várias crianças não podem comer glúten e os pais sofrem com a pequena variedade de lanches para a garotada!Confere lá no Blog
    http://blogdaantenada.blogspot.com/
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Cheguei aqui por indicação de uma amiga no facebook.
    Por enquanto, dei uma olhada rápida, mas já achei muito interessante.
    Apesar de leiga, sou uma curiosa quando se trata da alimentação da minha filha, de 5 anos.
    Com mais tempo, vou compartilhar algumas receitas de família e outras inventadas por aqui.
    Sou uma adulta com péssimos hábitos alimentares e problemas com a balança. E a minha preocupação sempre foi a de ensinar a minha filha a comer o necessário e, principalmente, a comer saudavelmente. Apesar das balas que ela A M A e não as descobriu em casa, acho que tenho tido sucesso.
    Bjs, Telma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Telma, seja bem-vinda!
      Obrigada por sua visita, volte sempre!
      Beijos

      Excluir
  5. Estou amando seu blog! e copiando as receitas! Sou prof de Educação Física e me preocupo muito com a alimentação adequada da minha beb~e! Obrigada!

    ResponderExcluir
  6. Ola Karine,
    Estou conhecendo o seu blog hoje e estou adorando!!!! Refeicoes em familia eh algoque sempre segui a risca..... tenho 2 filhos (um de 4 anos e uma de 20 meses). Sempre comemos juntos e fazemos desse momento o momento de conversar, de falar da vida.... AMO tudo isso!!! E percebo que eles gostam e curtem tbm!!! Confesso que tenho alguns habitos alimentares que preciso melhorar e que aos poucos estou corrigindo....
    Estarei seguindo seu blog e curtir as dicas!!!! Gabriela

    ResponderExcluir
  7. Ótimo post! Minha filha tem 9 meses e gosto de almoçar com ela. Tenho tentado dar a frutinha na mesa enquanto tomamos café da manhã tb. Hj mesmo estava pensando q não está certo ela comer fruta e nós pão. Preciso introduzir fruta na minha alimentação tb! Vai ser um bom exemplo pra ela e saúde para mim.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comente! A nutri adora conversar!

Pots mais lidos

Iogurte na alimentação das crianças

Bom dia pessoal!
Vou seguir uma indicação de uma leitora querida, Alethéia, e escrever sobre iogurte na alimentação das nossas crianças.
Eu sou superfã deste alimento! Rico em Cálcio (sempre estimulo consumo de alimentos ricos  neste micronutriente pois nossa população está bem carente....), tem a lactose (açúcar do leite) fermentada e por isso é de fácil digestão, rico em probióticos, as tais bactérias benéficas que equilibram nossa flora intestinal, fortalece o sistema imunológico e facilita o trânsito intestinal, entre outros benefícios.  O iogurte pode ser incluido na alimentação do bebê após o início da alimentação complementar, isso é, com 6 a 7 meses aproximadamente. Com algumas ressalvas e detalhes.
Detalhe número 1: O iogurte para dar para o bebê, necessariamente tem que ser natural e sem açúcar. Os petit suisses vendidos no mercados contém corantes, aromatizantes e conservantes, substâncias estranhas ao nosso organismo (nós nutricionistas chamamos estas substâncias de xenobiótic…

Sem açúcar, com afeto ou porque não dar açúcar ao bebê!

Sempre me perguntam, por quê não dar açúcar ao bebê? Ou então: posso dar açúcar orgânico, mascavo, produto adoçante?


O seguinte: a resposta inicial, todo mundo já sabe. Açúcar branco é caloria vazia, logo, não faz bem pra ninguém, dieteticamente falando. Essa caloria vazia pode ser traduzida em excesso de peso lá na frente - uma das doenças de mais difícil tratamento: a obesidade.
Mas tem um motivo mais profundo aí. Que eu vou explicar agora.
A necessidade de comer açúcar (alimentos doces) é do adulto. O bebê está provando tudo. Ele não sabe, por exemplo, que o suco de maracujá tem que ser adoçado. Sério. Ele vai aprender o que você mostrar a ele. Ele não sabe que a banana pode ficar melhor com açúcar. Ou não. A necessidade é nossa, não do bebê.
Só que, por natureza, o bebê já vem gostando de doce de fábrica. Ofereça açúcar, iogurte adoçado, chocolate, pirulito e geralmente você verá um bebê que vai comer e se lambuzar. A lactose do leite materno é levemente adocicada.
Por isso, não é um dos…

Alimentação para maiores de 1 ano!

Eba! Chegou o tão esperado aniversário de 1 ano do bebê. Depois da correria da festa, voltamos ao dia-a-dia do bebê. Com uma nova dúvida. E a alimentação? Aí, passamos no pediatra, e ele indica: agora mãe, ele deve comer a alimentação família. A mãe comemora (ou não). Não precisa mais fazer papinhas... Aí eu entro: alimentação da família? Tenho medo dessa frase... prefiro dizer que agora a família vai comer a alimentação do bebê com a textura adaptada! Sabe porquê? Como é a alimentação dos adultos em casa? Você, mãe zelosa, vinha fazendo a alimentação perfeitinha, com todos os grupos alimentares e tal...como passou do primeiro ano, só arroz, feijão e carne é suficiente? Calma! Nada contra o arroz e o feijão, pelo contrário. Dupla fantástica, garante um prato quase completo. Lembra desse post? Quase completo por que o legume e/ou a verdurinha precisa acompanhar o prato. Como faziam na época da papinha. Portanto, a alimentação continuará com todos os grupos alimentares... fonte de carboidra…