Pular para o conteúdo principal

Tem que fazer? Como fazer? Cozinhando para seu filho!

Quando ficamos grávidas, nos preparamos mentalmente para a grande etapa que virá a seguir: ser mãe.
E todas as mães concordam que é necessário um pouco de renúncia. Renúncia ao sono de noites inteiras, renúncia de poder sair a hora que quiser, no momento que quiser sem planejamento...
Há, o planejamento... esse substantivo reina no mundo da maternidade. Com o planejamento, sonhamos com o chá de bebê (ou de fraldas), o quarto do bebê, a ida a maternidade...
Uma delícia! Essa renúncia é recheada e coberta de felicidades. 
Mas, na vida das mães, existem coisas que não são exatamente uma delícia, e fazemos porque é preciso. Trocar fraldas seria uma delas. Ouvir músicas infantis mil vezes por dia talvez? Não ter tempo para "fazer nada" ou fazer algo que gostamos...
Mas é preciso. E nós como mães, fazemos.

Sabe o que mais é preciso fazer, mas existem algumas de nós que não gosta?

Cozinhar (ou indicar alguém o que cozinhar). Desculpe as super práticas, mas cozinhar, quando somos mães, é preciso. Faz parte do nosso trabalho. Cozinhar é cuidar. Afinal, o que queremos mais que tudo quando ficamos grávidas?
Que nosso filho venha com saúde!
Uma forma super maneira de conseguirmos isso é pela alimentação. Saúde global. Comer a comida de mãe (ou de pai, ou de avó, ou até da babá) faz bem pra alma, agrega, acaricia, nos faz feliz. Garante aquela saúde de ferro, aumenta a imunidade.

E o legal disso tudo, é que se você, mãe, ainda não cozinhou e vai se aventurar,  pode adorar e encontrar uma nova paixão. Se divertir muito. E quando seu bebê crescer só mais um pouquinho, pode ser seu ajudante. É mais uma coisa que você pode aprender com ele ou por ele e depois ensinar para ele..


Quando "perdemos" aquela meia horinha fazendo a papinha, não estamos perdendo nada. Estamos ganhando. E o bebê também.

Claro que sou super a favor de técnicas práticas, como congelar os ingredientes. Quem sabe alguém aí tem uma avó bem bacana que cozinha no domingo, e deixa as comidinhas preparadas? Ou tem alguma funcionária que prepara tudo com extremo carinho?

Agora, comida pronta todo dia não dá. Não é bom pro seu bebê, não é bom pra você, não é bom pra ninguém.

Para conseguir dar conta de tudo e ainda cozinhar ou orientar alguém a cozinhar da maneira que você quer, basta uma coisa: o planejamento.
Para quem te bebês, para quem tem crianças mais velhas, para quem tem adolescentes, o planejamento faz uma baita diferença quando queremos comer melhor.
Se planeje para as compras, para preparar, para servir. Você verá que não é um bicho de sete cabeças, vai se divertir e fazer o melhor para sua família. Tem coisa melhor?
Lembrando que aqui no blog tem várias receitas: pão, hambúrguer, papinha, "nugets" de peixe, macarrão, sopa..... só procurar e se aventurar!

Beijos e bom apetite!

Comentários

  1. Karine parabéns pela iniciativa de compartilhar seus saberes em nutrição com as mães, adoro o seu blog e indico sempre.Abraços de uma mãe coruja...

    ResponderExcluir
  2. Olá Karine,

    olha não quero fazer consulta por aqui, mas queria saber o que vc acha de eu dar mucilon para minha filhinha de 6 meses, é que ela só tá ganhando 200 gramas por mês a 3 meses, e não tá crescendo, ela está medindo 65cm já tem 2 meses, a pediatra passou pra ela tomar mucilon, mas eu não sei se devo dar, o que vc acha??? Por favor me ajude, estou desesperada!!!!

    Obrigada pela atenção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querida!
      Fique à vontade para pergutar! Estou aqui pra isso! =)
      Eu não indicara o Mucilon não. Procure um banco de lete na sua cidade para avaliar a amamentação. Acorde seu bebê mais vezes pra mamar. Não o deixe dormir ao peito, estimule-o, tire a meinha, faça massagem na bochecha. E avalie se ele está fazendo bastante xixi - indicação de bom consumo de leite materno - ou fórmula!
      Beijo

      Excluir
    2. Karine obrigada pela dica, eu contei melhor minha história lá no grupo do facebook (alimentação consciente) e vc tbm me respondeu. Obrigada mesmo!!!!!

      Excluir
  3. Oi, Karine,
    Penso exatamente assim. Temos de cozinhar para nossos filhos e para nós também, mesmo não gostando. Mesmo não sabendo. Parabéns pelo post.
    beijos,
    Patricia

    ResponderExcluir
  4. Olá Karine! poderia por favor me tirar uma duvida? Meu filho esta com 6 meses e já esta almoçando e jantando mas mantendo 3 mamadas. Minha duvida é se devo oferecer a fruta logo apos a papinha salgada ou deveria dar um tempinho.
    obrigada!
    Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ana!
      Pode sim, dar a papinha logo depois. Se tiver vitamina C na fruta escolhida, vai ajudar na absorção do Ferro da refeição!
      Veja se seu príncipe se acostuma!
      Beijos e bom apetite!

      Excluir
  5. Bom dia

    Gostaria de saber, a minha neta so come frutas, minha filha não da doces , açucar , iogurte so o natural , mingal de aveia com banana, sem leite, pois ela mama no peito ainda, e tem 2 anos e 4 meses, so comidas comuns, e como diz o meu marido, sem gosto, q ela come muita coisa azeda, gosta de granola , açai ela adora, mas ele acha q ela tá errada, q ela tem q experimentar doces, balas, biscoitos recheados, q ela é criança e q tem vontade...
    Agora me diga quem está certo?

    Minha filha é rigida no q ela come e em horários para dormir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia!

      Eu não podeira julgar quem está certo ou errado. Mas posso propor uma reflexão.
      O que vocês querem para essa gatinha? Saúde? A alimentação natural sempre é o melhor caminho. Qual a real necessidade de oferecer doces, biscoito recheado e balas? A necessidade é do adulto, que acha que a criança quer, ou da criança? Se a criança não comer estes alimentos, o que ela vai perder? Se ela comer, o que vai ganhar?
      O momento é de criar crianças centenárias, que poderão viver com saúde até os 100 anos. Como podemos contribuir para isso acontecer?
      Um beijo grande e boa sorte!

      Excluir

Postar um comentário

Comente! A nutri adora conversar!

Pots mais lidos

Iogurte na alimentação das crianças

Bom dia pessoal!
Vou seguir uma indicação de uma leitora querida, Alethéia, e escrever sobre iogurte na alimentação das nossas crianças.
Eu sou superfã deste alimento! Rico em Cálcio (sempre estimulo consumo de alimentos ricos  neste micronutriente pois nossa população está bem carente....), tem a lactose (açúcar do leite) fermentada e por isso é de fácil digestão, rico em probióticos, as tais bactérias benéficas que equilibram nossa flora intestinal, fortalece o sistema imunológico e facilita o trânsito intestinal, entre outros benefícios.  O iogurte pode ser incluido na alimentação do bebê após o início da alimentação complementar, isso é, com 6 a 7 meses aproximadamente. Com algumas ressalvas e detalhes.
Detalhe número 1: O iogurte para dar para o bebê, necessariamente tem que ser natural e sem açúcar. Os petit suisses vendidos no mercados contém corantes, aromatizantes e conservantes, substâncias estranhas ao nosso organismo (nós nutricionistas chamamos estas substâncias de xenobiótic…

Alimentação para maiores de 1 ano!

Eba! Chegou o tão esperado aniversário de 1 ano do bebê. Depois da correria da festa, voltamos ao dia-a-dia do bebê. Com uma nova dúvida. E a alimentação? Aí, passamos no pediatra, e ele indica: agora mãe, ele deve comer a alimentação família. A mãe comemora (ou não). Não precisa mais fazer papinhas... Aí eu entro: alimentação da família? Tenho medo dessa frase... prefiro dizer que agora a família vai comer a alimentação do bebê com a textura adaptada! Sabe porquê? Como é a alimentação dos adultos em casa? Você, mãe zelosa, vinha fazendo a alimentação perfeitinha, com todos os grupos alimentares e tal...como passou do primeiro ano, só arroz, feijão e carne é suficiente? Calma! Nada contra o arroz e o feijão, pelo contrário. Dupla fantástica, garante um prato quase completo. Lembra desse post? Quase completo por que o legume e/ou a verdurinha precisa acompanhar o prato. Como faziam na época da papinha. Portanto, a alimentação continuará com todos os grupos alimentares... fonte de carboidra…

Sem açúcar, com afeto ou porque não dar açúcar ao bebê!

Sempre me perguntam, por quê não dar açúcar ao bebê? Ou então: posso dar açúcar orgânico, mascavo, produto adoçante?


O seguinte: a resposta inicial, todo mundo já sabe. Açúcar branco é caloria vazia, logo, não faz bem pra ninguém, dieteticamente falando. Essa caloria vazia pode ser traduzida em excesso de peso lá na frente - uma das doenças de mais difícil tratamento: a obesidade.
Mas tem um motivo mais profundo aí. Que eu vou explicar agora.
A necessidade de comer açúcar (alimentos doces) é do adulto. O bebê está provando tudo. Ele não sabe, por exemplo, que o suco de maracujá tem que ser adoçado. Sério. Ele vai aprender o que você mostrar a ele. Ele não sabe que a banana pode ficar melhor com açúcar. Ou não. A necessidade é nossa, não do bebê.
Só que, por natureza, o bebê já vem gostando de doce de fábrica. Ofereça açúcar, iogurte adoçado, chocolate, pirulito e geralmente você verá um bebê que vai comer e se lambuzar. A lactose do leite materno é levemente adocicada.
Por isso, não é um dos…