Pular para o conteúdo principal

Mitos sobre a alimentação da futura mamãe

Bom dia mamães! Dia friozinho!


Pessoal, recebi na semana passada um link bacana, com informações escritas por uma nutricionista, comentando os mitos que giram em torno da alimentação da gestante e da mamãe que amamenta, a matéria está muito legal!


Eu vou tomar a liberdade de complementar alguns dados, que acho importante, e que é pouco comentado:


“Grávida come por dois e se o desejo não for atendido, o bebê vai nascer com alguma marca.”


Além do exposto, gostaria só de colocar uma dica e um alerta sobre desejos e vontades!
Mamãe, se você está com muita vontade de determinado alimento, ou até de algo que não é alimento (tipo tijolo, sabonete...não, não estou maluca, isso é verdade!) dêem uma atenção especial a este sintoma. Geralmente é um sinal importante que o corpo nos dá referenciando alguma possibilidade de deficiência nutricional. Vou explicar: a mamãe, de repente, está louca de vontade de comer alimentos ricos em gordura! Hum, uma coxinha, um bacon...sua boca enche d'agua só de pensar, e essa vontade é recorrente.... será que ela está consumindo fonte de gordura (da boa gordura, do tipo mono e polinsaturada, indispensável para a saúde da mamãe e bebê) em quantidade suficiente?
Então sugiro que a mamãe comente isso com sua nutricionista, e ela irá investigar, de acordo com seus hábitos alimentares, se falta algum tipo de nutriente, e irá fazer as prescrições adequadas!






“Comer canjica e beber cerveja preta aumenta a quantidade e fortalece o leite materno.’”


Vou explicar essa questão da cerveja preta! O que faz a mãe ter mais leite é a estimulação (ou seja, o bebê mamar) e o relaxamento... stress pode prejudicar a produção de leite.
Antigamente, a mamãe tomava uma cervejinha e... relaxava!! E...voalá! Mais leite aparecia!
O importante nesta dica é.....relaxe (de outras maneiras)! O consumo de bebida alcoolica nesta fase especial da amamentação não é recomendada.


E pra terminar, gostaria de fazer uma homenagem ao protesto que aconteceu nesta semana em São Paulo, o "mamaço", um protesto organizado por cerca de 50 mamães contra proibição de amamentar suas crianças no Itaú Cultural. O Itaú já reviu a regra.
Mamães, estou com vocês. As leis e as regras tem que incentivar a amamentação, não o contrário. Já li em alguns blogs mamães comentando que tem pudor e tals ...enfim! Com certeza o movimento não é para incentivar todas as mães a colocarem os seios pra fora, mas, pra quem se sentir a vontade com tal situação, ter o direito de ser feliz!
Beijos para vocês!!!!

Comentários

  1. Ameiiiiiiiii... e olha que sempre pensei que desejo de gravida era sagrado... até tijolo valia kkkkk... excelentes dicas

    ResponderExcluir
  2. Oi, Karine.
    Tudo bem?

    Eu escrevo o blog: http://mamae-moderna.blogspot.com, e gostaria de te convidar para escrever um post no blog sobre amamentação.
    É uma participação numa tag nova do blog com participação de profissionais que atuem na área infantil.
    Tenho certeza que sua participação seria muito enriquecedora!

    Bjocas!

    Line
    mamae_moderna@yahoo.com.br

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comente! A nutri adora conversar!

Pots mais lidos

Iogurte na alimentação das crianças

Bom dia pessoal!
Vou seguir uma indicação de uma leitora querida, Alethéia, e escrever sobre iogurte na alimentação das nossas crianças.
Eu sou superfã deste alimento! Rico em Cálcio (sempre estimulo consumo de alimentos ricos  neste micronutriente pois nossa população está bem carente....), tem a lactose (açúcar do leite) fermentada e por isso é de fácil digestão, rico em probióticos, as tais bactérias benéficas que equilibram nossa flora intestinal, fortalece o sistema imunológico e facilita o trânsito intestinal, entre outros benefícios.  O iogurte pode ser incluido na alimentação do bebê após o início da alimentação complementar, isso é, com 6 a 7 meses aproximadamente. Com algumas ressalvas e detalhes.
Detalhe número 1: O iogurte para dar para o bebê, necessariamente tem que ser natural e sem açúcar. Os petit suisses vendidos no mercados contém corantes, aromatizantes e conservantes, substâncias estranhas ao nosso organismo (nós nutricionistas chamamos estas substâncias de xenobiótic…

Sem açúcar, com afeto ou porque não dar açúcar ao bebê!

Sempre me perguntam, por quê não dar açúcar ao bebê? Ou então: posso dar açúcar orgânico, mascavo, produto adoçante?


O seguinte: a resposta inicial, todo mundo já sabe. Açúcar branco é caloria vazia, logo, não faz bem pra ninguém, dieteticamente falando. Essa caloria vazia pode ser traduzida em excesso de peso lá na frente - uma das doenças de mais difícil tratamento: a obesidade.
Mas tem um motivo mais profundo aí. Que eu vou explicar agora.
A necessidade de comer açúcar (alimentos doces) é do adulto. O bebê está provando tudo. Ele não sabe, por exemplo, que o suco de maracujá tem que ser adoçado. Sério. Ele vai aprender o que você mostrar a ele. Ele não sabe que a banana pode ficar melhor com açúcar. Ou não. A necessidade é nossa, não do bebê.
Só que, por natureza, o bebê já vem gostando de doce de fábrica. Ofereça açúcar, iogurte adoçado, chocolate, pirulito e geralmente você verá um bebê que vai comer e se lambuzar. A lactose do leite materno é levemente adocicada.
Por isso, não é um dos…

Alimentação para maiores de 1 ano!

Eba! Chegou o tão esperado aniversário de 1 ano do bebê. Depois da correria da festa, voltamos ao dia-a-dia do bebê. Com uma nova dúvida. E a alimentação? Aí, passamos no pediatra, e ele indica: agora mãe, ele deve comer a alimentação família. A mãe comemora (ou não). Não precisa mais fazer papinhas... Aí eu entro: alimentação da família? Tenho medo dessa frase... prefiro dizer que agora a família vai comer a alimentação do bebê com a textura adaptada! Sabe porquê? Como é a alimentação dos adultos em casa? Você, mãe zelosa, vinha fazendo a alimentação perfeitinha, com todos os grupos alimentares e tal...como passou do primeiro ano, só arroz, feijão e carne é suficiente? Calma! Nada contra o arroz e o feijão, pelo contrário. Dupla fantástica, garante um prato quase completo. Lembra desse post? Quase completo por que o legume e/ou a verdurinha precisa acompanhar o prato. Como faziam na época da papinha. Portanto, a alimentação continuará com todos os grupos alimentares... fonte de carboidra…